Estudo fitossociológico de uma área de Caatinga na Estação Ecológica (ESEC) de Aiuaba, Ceará, Brasil

Autores

  • Jesus Rodrigues Lemos Universidade Federal do Piauí Campus Ministro Reis Velloso
  • Marico Meguro Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n2p39

Resumo

Este trabalho teve como objetivos caracterizar a fisionomia e a estrutura do componente lenhoso de um trecho da Estação Ecológica (ESEC) de Aiuaba, Ceará, contribuindo para o melhor conhecimento da vegetação do semiárido do Nordeste brasileiro. Foram alocadas 50 parcelas de 10 x 10 m em uma área de 1,5 ha e medidos os caules de todos os indivíduos, inclusive cipós, que tivessem diâmetro ao nível do solo ≥ 3 cm e altura total ≥ 1 m. Foram amostrados 3.007 indivíduos distribuídos em 47 espécies e 20 famílias. Fabaceae, Euphorbiaceae, Erythroxylaceae, Acanthaceae, Bignoniaceae e Rutaceae responderam por 66% das espécies e as três primeiras totalizaram 63% do valor de importância total. Croton argyrophylloides Müll. Arg., Pityrocarpa moniliformis Benth., Erythroxylum caatingae Plowman e Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud. tiveram os maiores valores de importância. Os valores médios e máximos de altura e diâmetro, respectivamente, foram 4,51-13 m e 7,28-44,9 cm. A área basal total foi de 18,3 m2ha-1. A comunidade vegetal estudada permitiu enquadrar a vegetação como Caatinga arbustivo-arbórea, apresentando composição florística similar a outras áreas de caatinga instaladas sobre sedimentos arenosos e com áreas de carrasco situadas no Complexo Ibiapaba-Araripe.

Biografia do Autor

Jesus Rodrigues Lemos, Universidade Federal do Piauí Campus Ministro Reis Velloso

Possui Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Piauí (1995), Mestrado em Biologia Vegetal pela Universidade Federal de Pernambuco (1999), Doutorado em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade de São Paulo (2006) e Pós-Doutorado no Royal Botanic Gardens, Kew, Londres (2006 e 2013). Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Florística e Fitossociologia da vegetação de caatinga e Fitogeografia do semi-árido brasileiro. Atualmente é Professor Adjunto IV da Universidade Federal do Piauí/CMRV.

Marico Meguro, Universidade de São Paulo

Possui graduação em História Natural pela Universidade de São Paulo (1955) e doutorado pela Universidade de São Paulo (1960). Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de Ecossistemas, atuando principalmente nos seguintes temas: ciclagem de nutrientes minerais, fatores de tensão, condicões fisiográficas, estrutura , composicão floristica, e fitossociologia de campo cerrado, campos rupestres e caatinga

Downloads

Publicado

2015-03-23

Edição

Seção

Artigos