Conhecimento ecológico e captura incidental de tartarugas marinhas em São João de Pirabas, Pará, Brasil

Tiago Pereira Brito, Antonia Natalia Dias de Oliveira, Daniella Amor Cunha da Silva, Jaime Alessandro de Souza Rochas

Resumo


Este estudo teve por objetivo registrar o conhecimento ecológico de pescadores do município de São João de Pirabas, Pará, Brasil, quanto à ocorrência de tartarugas marinhas no litoral paraense, bem como mensurar sua captura incidental durante a pesca; para tanto, foram realizadas 50 entrevistas semiestruturadas com pescadores locais. A pesca foi praticada predominantemente por homens adultos, que utilizavam sete artes de pesca (rede de emalhe, linha e anzol, espinhel, curral, tarrafa, tapagem e matapi), voltadas principalmente à captura da cavala (Scomberomorus cavalla), serra (S. brasiliensis), gó (Macrodon ancylodon), corvina (Cynoscion spp.), pescada (Cynoscion spp.), bandeirado (Bagre bagre) e tainha (Mugil spp.). Os pescadores observaram na região cinco espécies de tartarugas, sendo mais frequente a ocorrência de Chelonia mydas (100%), Dermochelys coriacea (66%) e Eretmochelys imbricata (46%); as espécies com menor frequência são Caretta caretta (16%) e Lepidochelys olivacea (8%). As áreas de desova das três espécies mais frequentes demonstram a importância do litoral paraense para sua conservação. Capturas incidentais foram relatadas por 76% dos pescadores, ocorrendo principalmente em redes, espinheis e currais. Geralmente, os animais capturados eram soltos, apesar de haver o consumo de carne e ovos de tartaruga marinha pelos pescadores.


Palavras-chave


Etnoconhecimento; Interação com a pesca; Pescador; Quelônio

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n3p159

Direitos autorais 2015 Tiago Pereira Brito, Antonia Natalia Dias de Oliveira, Daniella Amor Cunha da Silva, Jaime Alessandro de Souza Rochas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.