Alimentação de pequenos felídeos neotropicais (Felidae: Carnivora) e sobreposição de nicho trófico na paisagem mosaico antropizada no sul do Brasil

Autores

  • Alcides Ricieri Rinaldi Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação da Natureza. Universidade Federal do Paraná. CEP 81531-990. Curitiba, PR.
  • Flávia Heloísa Rodriguez 2 Curso de Ciências Biológicas, Faculdade Anglo-Americano, Av. Paraná 5661, CEP 85868-030. Foz do Iguaçu, PR.
  • Anderson Luiz Carvalho Curso de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Paraná, Palotina, PR. R. Pioneiro, 2153, CEP 85950-000, Palotina, PR.
  • Fernando Camargo Passos Laboratório de Biodiversidade, Ecologia e Conservação de Animais Silvestres (LABCEAS), Departamento de Zoologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), CEP 81531-990. Curitiba, PR.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n4p155

Palavras-chave:

Floresta Atlântica de Interior, Leopardus guttulus, Leopardus wiedii, Matriz agrícola, Puma yagouaroundi

Resumo

Conhecer a diversidade de uma comunidade e compreender sua dinâmica é especialmente importante em um habitat alterado onde estas informações podem ajudar a melhorar programas de conservação da biodiversidade. Na paisagem alterada de Mata Atlântica de Interior, no oeste do estado do Paraná (25º41’ a 25º20’S e 53º56’ a 54º35’W), foram coletadas amostras (310) de fezes de felídeos neotropicais, das quais 110 foram identificadas, sendo 39 para Leopardus guttulus (gato-do-mato-pequeno), 38 para Leopardus wiedii (gato-maracajá) e 33 para Puma yagouaroundi (gato-mourisco). As amostras identificadas continham espécies de presas sinantrópicas, como o roedor Mus musculus em 44% (L. guttulus), 32% (L. wiedii) e 15% (P. yagouaroundi). Esta observação e a coleta destas amostras na paisagem de uso agrícola sugerem que estes pequenos felinos utilizam esta paisagem antropizada mosaica. Os pequenos mamíferos (< 100 g) foram mais comuns na dieta dessas espécies, sendo Akondontini e Monodelphis spp. os grupos de presas com maior ocorrência. Além disto, a elaboração do fator de correção de biomassa para estas espécies mostrou ser significativamente eficaz na correção de biomassa consumida de duas das três espécies de felinos estudadas, e por esta razão, é recomendado em futuros estudos destas espécies.

Biografia do Autor

Alcides Ricieri Rinaldi, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação da Natureza. Universidade Federal do Paraná. CEP 81531-990. Curitiba, PR.

Biologo pela Faculdade União das Américas, mestre e doutor em Ecologia e Conservação pela Universidade Federal do Paraná. É professor de Zoologia na Faculdade União das Américas, Já atuou no manejo de animais silvestres em cativeiro, em atividades no terceiro setor e na área de Manejo e Conservação no Parque Nacional do Iguaçu. 

Flávia Heloísa Rodriguez, 2 Curso de Ciências Biológicas, Faculdade Anglo-Americano, Av. Paraná 5661, CEP 85868-030. Foz do Iguaçu, PR.

Graduação em Ciências Biológicas com ênfase em Biologia Ambiental, atuando principalmente na área de mastozoologia, com ênfase em tricologia e levantamento de mamíferos de pequeno e médio porte.

Anderson Luiz Carvalho, Curso de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Paraná, Palotina, PR. R. Pioneiro, 2153, CEP 85950-000, Palotina, PR.

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Paraná (2006) e Mestrado em Zootecnia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2010). É Professor Assistente I da Universidade Federal do Paraná, atuando nos cursos de Medicina Veterinária e Ciências Biológicas com Ênfase em Gestão Ambiental. Tem experiência em Conservação e Medicina Veterinária de Animais Silvestres, com ênfase em captura, manejo, clínica e nutrição.

Fernando Camargo Passos, Laboratório de Biodiversidade, Ecologia e Conservação de Animais Silvestres (LABCEAS), Departamento de Zoologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), CEP 81531-990. Curitiba, PR.

Bolsista de Produtividade do CNPq na área de Zoologia, com 106 publicações, dos quais 80 artigos científicos em periódicos, quatro livros e 22 capítulos de livros (Agosto/2014). É Biólogo pela Universidade Federal de São Carlos (1987), tem mestrado em Ecologia pela UNICAMP (1992) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela UFSCAR (1997). Foi presidente da Sociedade Brasileira de Primatologia, gestão 2009-2011, e participou da diretoria da Sociedade Brasileira de Zoologia, como Primeiro Secretário, Segundo Secretário e Segundo Tesoureiro nas gestões de 2000-2002, 2002-2004, 2004-2006, 2006-2008, 2008-2010 e 2010-2012. É líder dos grupos de pesquisa/CNPq, Biodiversidade, Conservação e Ecologia de Animais Silvestres e Grupo de Pesquisa em Montanha, ambos da UFPR. Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Paraná, credenciado nos seguintes Programas de Pós-Graduação: PG Zoologia e PG Ecologia e Conservação da Universidade Federal Paraná, e Curador da Coleção Científica de Mastozoologia do Departamento de Zoologia/UFPR. Instituido pela Portaria 421, de 03/09/2014, do Ministério do Meio Ambiente, Instituto Chico Mendes de Conservação de Biodiversidade, como parte do Grupo de Assessoramento Técnico para acompanhar a implementação do Plano de Ação Nacional para Conservação dos Mamíferos da Mata Atlântica Central - PAN Mamíferos da Mata Atlântica Central. Editor de Área de Conservação da Revista Brasileira de Zoologia (de 2000 a 2008) e Zoologia - An International Journal for Zoology (Brasil) (a partir de 2009). Revisor dos periódicos: PLOS-ONE, Journal of Zoology (UK), Primates (Japão), Mammalia (França), Revista U.D.C.A Actualidad & Divulgación Científica (Colombia), Mastozoologia Neotropical (Argentina), Revista Brasileira de Zoologia, Zoologia - An Internationl Journal for Zoology, Iheringia, Bioikos, Revista Brasileira de Zoociências, Chiroptera Neotropical, Biota Neotropica, Acta Amazonica e Genetics and Molecular Biology. Tem experiência na área de Zoologia e Ecologia, com ênfase em Conservação de Espécies Animais e Biodiversidade, Comportamento Animal, Zoologia Aplicada, História Natural, Ecologia, Inventários e Monitoramentos de Fauna, atuando principalmente nos seguintes temas: Mastozoologia, Primatologia, Mammalia, primatas, morcegos, carnívoros, biologia, ecologia e conservação. Foi orientador de diversas dissertações e teses, além de monografias de especialização, monografias de conclusão de graduação e bolsistas de Iniciação Científica. Projetos coordenados em parcerias com empresas foram realizados com a Petrobras, nos anos de 2001-2004 e de 2010-2013, e com a Renault do Brasil, nos anos de 2005-2006 e 2007-2008. Coordena atualmente um projeto PELD de Mata Atlântica.

Publicado

2015-07-07

Edição

Seção

Artigos