Quiropterofauna da Fazenda Santo Antônio dos Ipês, Jaú, estado de São Paulo, Brasil

Autores

  • Ayesha Ribeiro Pedrozo Colaboradora no Departamento de Zoologia da Universidade Estadual Paulista, Botucatu - SP, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-2422-1831
  • Luiz Antonio Costa Gomes Colaborador do Laboratório de Mastozoologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica - RJ, Brasil.
  • Moisés Guimarães Colaborador no Departamento de Zoologia da Universidade Estadual Paulista, Botucatu - SP, Brasil.
  • Wilson Uieda Departamento de Zoologia, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Botucatu - SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2016v29n1p97

Palavras-chave:

Dieta, Floresta Estacional Semidecidual, Morcegos frugívoros, Raiva

Resumo

O presente estudo registrou as espécies de morcegos que ocorrem na Fazenda Santo Antônio dos Ipês, Jaú, SP, Brasil, com a finalidade de identificar os itens alimentares consumidos por esses animais e avaliar a presença do vírus rábico nos mesmos. Vinte e uma noites de captura, distribuídas em cinco áreas da fazenda, foram realizadas utilizando redes de neblina entre novembro de 2009 e julho de 2011. Após um esforço de captura de 18217,5 m2.h, 580 morcegos de 16 espécies foram capturados. Sturnira lilium (n = 184), Artibeus lituratus (n = 134) e Carollia perspicillata (n = 126) foram as espécies mais abundantes. Dois indivíduos de Lasiurus ega foram adicionados ao inventário através de observação em abrigo, totalizando assim 17 espécies amostradas. Os itens alimentares mais consumidos foram os frutos de Solanaceae e de Piperaceae, e os frutos de Muntingia calabura os menos consumidos. Nenhum dos 132 indivíduos analisados para o vírus rábico apresentou resultado positivo. A Fazenda Santo Antônio dos Ipês é uma importante área, pois abriga a Reserva Ecológica Amadeu Botelho (uma Unidade de Conservação) que é o último resquício de Floresta Estacional Semidecidual da região de Jaú e que serve como refúgio para animais silvestres incluindo morcegos.

Biografia do Autor

Ayesha Ribeiro Pedrozo, Colaboradora no Departamento de Zoologia da Universidade Estadual Paulista, Botucatu - SP, Brasil.

Concluiu a Graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado) em 2012 pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp) - Botucatu - IBB (2012) e graduação em Ciências Biológicas (Licenciatura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho" - Unesp - Botucatu em 2011. Já participou de 15 congressos com apresentação de 16 painéis. Tem experiência na área de Zoologia; Manejo de répteis, aves e mamíferos; Morcegos; Interação morcegos-planta; Polinização; Levantamento e identificação de Morcegos e Ecologia de morcegos. Já organizou e atuou como monitora em cursos sobre  Manejo de morcegos. Concluiu em 2014 o Mestrado no Programa de Biologia Animal da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) no Laboratório de Diversidade de Morcegos (LADIM).

Luiz Antonio Costa Gomes, Colaborador do Laboratório de Mastozoologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica - RJ, Brasil.

Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas e Mestre em Ciências (programa de pós-graduação em Biologia Animal) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Possuo experiência em Ecologia de morcegos com ênfase em frugivoria, atividade horária, ecologia de populações/ comunidades e ecologia do parasitismo em morcegos. Atuo também com levantamentos de mastofauna, principalmente de morcegos, já tendo realizado inventários na Floresta Atlântica, Caatinga e Cerrado. Atualmente meus principais interesses estão relacionados em entender como fatores abióticos e bióticos influenciam os morcegos frugívoros. E-mail: luizantoniocg@gmail.com

Moisés Guimarães, Colaborador no Departamento de Zoologia da Universidade Estadual Paulista, Botucatu - SP, Brasil.

Graduado no curso de Ciências Biológicas - Licenciatura e Bacharelado, pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Botucatu. Atualmente trabalha como autônomo na realização de estudos para Licenciamentos Ambientais, atuando principalmente na área de Zoologia e Ecologia, com ênfase em comportamento de mamíferos de médio e grande porte e mamíferos voadores. Principais temas: inventário faunístico, médios e grandes mamíferos, chiroptera, morcegos urbanos, morcegos frugívoros, morcegos hematófagos, comportamento alimentar, manejo e saúde pública

Wilson Uieda, Departamento de Zoologia, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Botucatu - SP, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas (1974-1977), mestrado em Ecologia (1978-1982) e doutorado em Ecologia (1986-1994) pela Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, pós-doutorado em Ecologia pela Universidade de Cornell, Ithaca, NY, USA (1996-1997), e pelo Instituto Nacional de Pesquisas na Amazônia (2003-2004). Trabalhou com saúde indígena na Fundação nacional de Saúde, Brasília, DF (2005-2007). Atualmente é professor assistente doutor do Departamento de Zoologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, campus Botucatu. Tem experiência na área de Zoologia e Ecologia, com ênfase em Comportamento Alimentar de Mamíferos, atuando principalmente nos seguintes temas: chiroptera, morcegos urbanos, morcegos frugívoros, morcegos hematófagos, comportamento alimentar, manejo, saúde pública e regiões sudeste, centro-oeste e norte do Brasil.

Downloads

Publicado

2016-02-05

Edição

Seção

Artigos