Besouros de solo (Insecta: Coleoptera) em fragmento de mata de restinga no extremo sul do Brasil

Leandro Encarnação Garcia, Rodrigo Milton Moraes, Élvia Elena Silveira Vianna

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2016v29n4p59

Coleoptera é um dos grupos taxonômicos mais diversos com cerca de 390.000 espécies descritas. Devido à grande diversidade e concentração de especialistas em poucos grupos, torna-se difícil realizar o inventário da fauna de Coleoptera. Este trabalho visa contribuir com o conhecimento da diversidade de besouros em matas de restinga, localizadas no extremo sul do Rio Grande do Sul, Brasil. O objetivo deste estudo foi inventariar as espécies de coleópteros de solo amostradas com armadilhas de queda, durante o período de janeiro de 2011 a janeiro de 2012, bem como avaliar a abundância, sazonalidade e riqueza do grupo. Foi amostrado um total de 6.954 coleópteros distribuídos em 25 famílias e 89 morfoespécies. Dos indivíduos amostrados, 63,79% pertenceram à família Nitidulidae; 14,83% à Ptiliidae e; 6,82% à Staphylinidae. Dezenove famílias tiveram menos de 1% de indivíduos amostrados. Em relação ao número de morfoespécies por família 29,21% pertenceram à Curculionidae; 14,61% à Carabidae; 10,11% a Chrysomelidae; 6,74% à Nitidulidae e Scarabaeidae, ambas com mesmo percentual. Neste trabalho, foram verificadas duas situações sazonais onde a primavera teve o mesmo número de espécies que o verão e maior número de indivíduos amostrados.


Palavras-chave


Armadilha de solo; Diversidade; Estações; Levantamento; Sul do Brasil

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2016v29n4p59

Direitos autorais 2016 Leandro Encarnação Garcia, Rodrigo Milton Moraes, Élvia Elena Silveira Vianna

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.