Regeneração de agroflorestas: a importância da cobertura arbórea na transição florestal

Breno Moreira, Fabrício Alvim Carvalho

Resumo


Este estudo analisou e descreveu a composição, riqueza e diversidade de espécies do componente arbustivo-arbóreo nos diferentes estratos florestais de um sistema agroflorestal abandonado (~3 ha), situado em área urbana de Floresta Atlântica, no município de Juiz de Fora (MG), Brasil. Partiu-se da premissa de que o estrato arbóreo remanescente tende a auxiliar o processo de regeneração natural e sucessão florestal. Foram alocadas aleatoriamente 25 parcelas de 20 x 20 m para a análise do estrato arbóreo e subparcelas de 5 x 5 m para a análise do estrato regenerante. Observou-se uma comunidade com forte dominância específica e baixo índice de diversidade de espécies (H’) em comparação com florestas secundárias de mesma fitofisionomia na região. As análises demonstraram que a presença de indivíduos de grande porte que remanesceram no local após o processo de desbaste do sub-bosque tende a auxiliar e acelerar o processo de regeneração natural e sucessão ecológica.


Palavras-chave


Fitossociologia; Floresta Atlântica; Sucessão ecológica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2018v31n1p21

Direitos autorais 2018 Breno Moreira, Fabrício Alvim Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.