Sais inorgânicos no controle em pós-colheita de Penicillium digitatum (Pers.) Sacc. em laranja

Anderson Eduardo Brunetto, Keilor da Rosa Dorneles, Cassio Muller, Leandro José Dallagnol

Resumo


O objetivo da pesquisa foi avaliar o efeito da aplicação dos sais inorgânicos cloreto de potássio (KCl), hidróxido de potássio (KOH) e silicato de potássio (K2O3Si) sobre laranja no controle do bolor verde causado por Penicillium digitatum. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado com cinco tratamentos e quatro repetições, cada uma composta por vinte frutos. Os frutos foram lavados, desinfestados e feridos com uma agulha (2-3 mm de profundidade), após 24 h foram tratados com os sais inorgânicos ou água destilada (controle) e 2 h após, inoculados por meio da deposição de 15 µL da suspensão de esporos de P. digitatum. Às 96, 120 e 245 horas após a inoculação (hai) foram realizadas as avaliações de incidência do bolor verde, taxa da expansão da lesão, tamanho da lesão e da área esporulante. Às 245 hai, entre os sais, o KOH e o K2O3Si foram os mais efetivos, afetando todas as variáveis avaliadas, reduzindo a incidência da doença em 80% e 36%, respectivamente, quando comparados à testemunha. Contudo, o tratamento com o KOH afetou a qualidade visual dos frutos, ocasionando enrugamento e desidratação da casca. Desse modo, conclui-se que, entre os sais inorgânicos testados, o K2O3Si (50 g.L-1) apresentou redução no bolor verde sem comprometer a qualidade visual do fruto, podendo ser incluído como uma medida complementar no manejo da doença.


Palavras-chave


Bolor verde; Citricultura; Controle de podridões; Minerais; Silício

Texto completo:

PDF/A

Referências


BENATO, E. A.; BELLETTI, T. C.; TERAO, D.; FRANCO, D. A. S. Óleos essenciais e tratamento térmico no controle pós-colheita de bolor verde em laranja. Summa phytopathol, Botucatu, v.44, n.1, p.65-71, 2018

DELIOPOULUS, T.; KETTLEWELL, P. S.; HARE, M. C. Fungal disease suppression by inorganic salts: a review. Crop Protection, Guildford, v. 29, n. 10, p. 1059 1075, 2010.

FISCHER, I. H.; TOFFANO, L.; LOURENÇO, S. A.; AMORIM, L. Caracterização dos danos pós-colheita em citros procedentes de “packinghouse”. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 32, n. 4, p. 304-310, 2007.

GHOOSHKHANEH, N. G.; GOLZARIAN, M. R.; MAMARABADI, M. Detection and classification of citrus green mold caused by Penicillium digitatum using multispectral imaging. Journal of the Science of Food and Agriculture, London, v. 98 p. 3542-3550, 2018.

JABNOUN-KHIAREDDINE, H.; ABDALLAH, R.; EL-MOHAMEDY, R.; ABDEL-KAREEM, F.; GUEDDES-CHAHED, M.; HAJLAOUI, A.; DAAMI-REMADI, M. Comparative efficacy of potassium salts against soil-borne and air-borne fungi and their ability to suppress tomato wilt and fruit rots. Journal of Microbial and Biochemical Technology, Louisville, v. 8, n. 2, p. 45-55, 2016.

MENEGON, A. P.; FORCELINI, C. A.; FERNANDES, J. M. C. Expansão de lesão por manchas foliares em cevada e sua interação com a aplicação foliar de fungicidas. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 30, p. 134-138, 2005.

RODRIGUES, F. A.; DATNOFF, L. E. Silicon and plant diseases. Basel: Springer International Publishing, 2015. 148 p.

SPADARO, D.; DROBY, S. Development of biocontrol products for postharvest diseases of fruit: The importance of elucidating the mechanisms of action of yeast antagonists. Trends in Food Science & Technology, Cambridge, v. 47, p. 39-49, 2016.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2018v31n4p65

Direitos autorais 2018 Anderson Eduardo Brunetto, Keilor da Rosa Dorneles, Cassio Muller, Leandro José Dallagnol

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.