Comunidade de invertebrados bentônicos e estrutura trófica em dois lagos antrópicos

Sílvia Topulniak, Luci Fátima Pereira, Tayane Cristina Buggenhagen, Ana Carolina de Deus Bueno-Krawczyk

Resumo


Os invertebrados bentônicos são importantes, tanto em ecossistemas lóticos como lênticos, por conta da contribuição ecológica na ciclagem de nutrientes, na passagem do fluxo de energia pelos níveis tróficos. Este trabalho teve por objetivo verificar a composição da comunidade de invertebrados bentônicos e caracterizar os respectivos grupos tróficos funcionais em dois lagos situados no Parque Ambiental dos Imigrantes (Mallet – PR). As amostragens foram realizadas através de uma peneira com diâmetro (30x30 cm e 0,05 mm de malha) em fevereiro de 2014, totalizando seis amostras em ambos os lagos. Foram coletados 271 invertebrados bentônicos, distribuídos em 24 táxons identificados no nível de gênero, e dentro de três grupos tróficos funcionais (GTF) (predadores, coletores e filtradores-coletores). Os taxa que mais contribuíram para a composição da comunidade foram Belostomatidae, Notonectidae, Chironomidae e Hydropsychidae. Foi observada maior abundância de espécies tróficas pertencentes aos predadores, seguida dos coletores e filtradores-coletores. Os resultados mostram que as características locais dos lagos influenciaram a abundância da comunidade bentônica amostrada, embora não tenha ocorrido diferença na estrutura dos grupos tróficos entre lagos estudados.


Palavras-chave


Ambientes lênticos; Grupos tróficos funcionais; Vegetação

Texto completo:

PDF/A (English)

Referências


ANDRADE, H. T. D.; SANTIAGO, A. S.; MEDEIROS, J. F. Estrutura da comunidade de invertebrados bentônicos com enfoque nos insetos aquáticos do rio Piranhas-Assu, Rio Grande do Norte, Nordeste do Brasil. Entomo Brasilis, Vassouras, v. 1, n. 3, p. 51-56, 2008.

BAPTISTA, D. F.; BUSS, D. F.; DORVILLÉ, L. F. M.; NESSIMIAN, J. L. O conceito de continuidade de rios é válido para rios de Mata Atlântica no sudeste do Brasil? Oecologia Brasiliensis, Rio de Janeiro, v. 5, p. 209-223, 1998.

BARBOLA, I. F.; MORAES, M. F. P. G.; ANAZAWA, T. M.; NASCIMENTO, E. A.; SEPKA, E.; POLEGATTO, R.; MILLÉO, C. M. J.; SCHÜHL, G. S. Avaliação da comunidade de macroinvertebrados aquáticos como ferramenta para o monitoramento de um reservatório na bacia do rio Pitangui, Paraná, Brasil. Iheringia, Série Zoologia, Porto Alegre, v. 101, n. 1-2, p. 15-23, 2011.

BENTO, L.; MAROTTA, H.; ENRICH-PRAST, A. O papel das macrófitas aquáticas emersas no ciclo do fósforo em lagos rasos. Oecologia Brasiliensis, Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p. 548-589, 2007.

BUENO, A. P.; BOND-BUCKUP, G.; FERREIRA, B. Estrutura da comunidade de invertebrados bentônicos em dois cursos d’água do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, Curitiba, v. 20, n. 1, p. 115-125, 2003.

BUENO-KRAWCZYK, A. C. D. B.; BALDAN, L. T.; ARANHA, J. M. R.; MENEZES, M.; ALMEIDA, C. V. The invertebrate’s community in adjacent Alto Iguaçu’s anthropic lakes of different environmental factors. Biota Neotropica, Campinas, v. 13, n. 1, p. 47-60, 2013.

BRUNO, C. G. C. Avaliação da contaminação dos córregos do Cerrado por metais pesados utilizando-se larvas de Odonata como bioindicadores. 2012. 92 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais) - Universidade de Uberlândia, Uberlândia. 2012.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de limnologia. Rio de Janeiro: Interciência, 1998. 575 p.

HAMMER ∅.; HARPER, D. A.T.; RYAN, P. D. PAST: palaeontological statistics. Version 1.89. World Wide Web electronic publication. 2007. Disponível em . Acesso em: 20 março 2013.

LELLES, C. L.; SILVA, E.; GRIFFITH, J. J.; MARTINS, S. V. Perfil ambiental qualitativo na extração de areia em curso d’água. Revista Árvore, Viçosa, v. 29 n. 3, 2005.

MERRITT, R. W.; CUMMINS, K. W. An introduction to the Aquatic Insects of North America. 3 ed. Dubuque: Kendall/Hunt Publishing Company, 1996. 862 p.

PEIRÓ, D. F.; ALVES, R. G. Insetos aquáticos associados a macrófitas da região litoral da represa do Ribeirão das Anhumas (município de Américo Brasiliense, São Paulo, Brasil). Biota Neotropica, Campinas, v. 6, n. 2, 2006.

METCALFE, J. L. Biological water quality assessment of running waters based on macroinvertebrates communities: history and present status in Europe. Environmental Pollution, Amherst, v. 60, p. 101-139, 1989.

MOLETTA, I. M.; NUCCI, J. C.; KRÖKER, R. Carta de hemerobia de uma área de extração de areia no bairro do Umbará, Curitiba/PR/Brasil. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 11, 2005, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 2005. CD-ROM.

MUGNAI, R.; NESSIMIAN, J. L.; BAPTISTA, D. F. Manual de identificação de macroinvertebrados aquáticos do estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Technical Books Editora, 2010. 174 p.

PÉREZ, G. R. Guia para el estúdio de los macroinvertebrados acuáticos del Departamento de Antioquia. Bogotá: Editorial Presencia Ltda, 1988. 226 p.

RUSINEK, J. Elementos geoambientais da microbacia Rio Claro, no distrito de Rio Claro do Sul – Paraná. 2008. 74 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia) - Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras, União da Vitória. 2008.

SALCEDO, A. K. M. Riqueza e densidade de macroinvertebrados aquáticos associados a macrófitas aquáticas nos lagos de várzea Janauna (AM) e Grande de Curuai (PA) da Amazônia Central brasileira. 2011. 119 f. Tese (Doutorado em Ecologia) - Universidade de Brasília, Brasília. 2011.

SHIMANO, Y.; SALLES, F. F.; LUIZ R. R.; FARIA, L. R. R.; HELENA, S. R.; CABETTE, H. S. R.; NOGUEIRA, D. S. Distribuição espacial das guildas tróficas e estruturação da comunidade de Ephemeroptera (Insecta) em córregos do Cerrado de Mato Grosso, Brasil. Iheringia, Série Zoologia, Porto Alegre, v. 102, n. 2, p. 187-196, 2012.

SHIMABUKURO, E. M. Os macroinvertebrados bentônicos em lagoas marginais ao Rio Paranapanema: avaliação dos hábitos alimentares de Chironomidae e Ephemeroptera através de análise do conteúdo estomacal. 2013. 94 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual Paulista, Botucatu. 2013.

TRIVINHO-STRIXINO, S.; STRIXINO, G. Larvas de Chironomidae (Diptera) do estado de São Paulo – Guia de identificação e diagnose dos gêneros. São Carlos: Editora da Universidade de São Carlos, 1995. 229 p.

TUNDISI, J. G.; MATSUMARA-TUNDISI, T. Limnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 63 p.

WETZEL, R. G. Reservoir ecosystems: conclusions and speculations. In: THORTON, K. W.; KIMMEL, B. L.; PAYNE, F. E. (Ed.). Reservoir limnology: ecological perspectives. New York: John Wiley & Sons, 1990. p. 227-238.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2019v32n1p31

Direitos autorais 2019 Sílvia Topulniak, Luci Fátima Pereira, Tayane Cristina Buggenhagen, Ana Carolina de Deus Bueno-Krawczyk

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.