Comportamento fenológico de Sebastiania brasiliensis em Floresta Ombrófila Mista Aluvial

Marcos Vinícius Martins Bassaco, Antonio Carlos Nogueira

Resumo


Com a necessidade crescente do conhecimento biológico das espécies nativas para utilização em projetos de restauração de matas ciliares, este trabalho teve como objetivo a caracterização fenológica de Sebastiania brasiliensis, espécie arbórea arbustiva que ocorre na Floresta Ombrófila Mista Aluvial. Para isso, foi feito o acompanhamento de dez árvores no município de Araucária – PR, observando os eventos fenológicos reprodutivos e vegetativos. As fenofases reprodutivas e vegetativas apresentaram sazonalidade, sendo que as fases reprodutivas iniciaram no início do verão com o aparecimento dos primeiros botões florais e finalizaram com o fruto maduro no início da primavera, enquanto as fenofases vegetativas iniciaram no inverno, ocorrendo a queda das ocorrendo a queda das folhas, que retornaram na primavera. Embora as fenofases tenham apresentado a sazonalidade descrita, ela não apresentou correlação com as variáveis climáticas (temperatura, umidade relativa e precipitação) durante o período avaliado. Dessa forma pode-se concluir que as fenofases reprodutivas apresentam maior sazonalidade que as vegetativas, e que a espécie apresenta padrões fenológicos bem definidos, porém estudos com maior tempo de duração são indicados.


Palavras-chave


Autoecologia vegetal; Branquilho leiteiro; Floresta Ombrófila Mista Aluvial; Restauração florestal

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALENCAR, J. C.; ALMEIDA, R. A.; FERNANDES, N. P. Fenologia de espécies florestais em floresta tropical úmida de terra firme na Amazônia Central. Acta Amazonica, Manaus, v. 9, n. 1, p. 163-198, 1979.

ALENCAR, J. C. Estudos silviculturais de uma população natural de Copaifera multijuga Hayne – Leguminosae, na Amazônia Central IV. Interpretação de dados fenólogicos em relação a elementos climáticos. Acta Amazonica, Manaus, v. 18, n. 3-4, p. 199-209, 1988.

BARDDAL, M. L.; RODERJAN, C. V.; GALVÃO, F.; CURCIO, G. R. Caracterização florística e fitossociológica de um trecho sazonalmente inundável de floresta aluvial, em Araucária, PR. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 37-50, 2004.

BAWA, K. S.; KANG, H.; GRAYUM, M. H. Relationships among time, frequency, and duration of flowering in Tropical Rain Forest Trees. American Journal of Botany, Columbus, v. 90, n. 6, p. 877-887, 2003.

BELO, R. M.; NEGREIROS, D.; FERNANDES, G. W.; SILVEIRA, F. A. O.; RANIERI, B. D.; MORELLATO, P. C. Fenologia reprodutiva e vegetativa de arbustos endêmicos de campo rupestre na Serra do Cipó, Sudeste do Brasil. Rodriguésia, Rio de Janeiro, v. 64, n. 4, p. 817-828, 2013.

BENCKE, C. S. C.; MORELLATO, L. P. C. Comparação de dois métodos de avaliação da fenologia de plantas, sua interpretação e representação. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 269-275, 2002.

BRITO NETO, R. L.; ARAUJO, E. I. P.; MACIEL, C. M. S.; PAULA, A.; TAGLIAFERRE, C. Fenologia de Astronium graveolens Jacq. em Floresta Estacional Decidual em Vitória da Conquista, Bahia. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 28, n. 1, p. 641-650, 2018.

CURCIO, G. R. Relações entre Geologia, Geomorfologia, Pedologia e Fitossociologia nas planícies fluviais do rio Iguaçu, Paraná, Brasil. 2006. 488 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2006.

DAUBENMIRE, R. Phenology and other characteristics of tropical semi-deciduous forest in northwestern Costa Rica. Journal of Ecology, London, v. 60, n. 1, p. 147-170, 1972.

FERRERA, T. S.; PELISSARO, T. M.; EISINGER, S. M.; RIGHI, E. Z.; BURIOL, G. A. Fenologia de espécies nativas arbóreas na região central do estado do Rio Grande do Sul. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 27, n. 3, p. 753-766, 2017.

FOURNIER, L. A. Un método cuantitativo para la medición de características fenológicas en árboles. Turrialba, San José, v. 24, n. 4, p. 422-423, 1974.

FOURNIER, L. A.; CHARPANTIER, C. El tamaño de la muestra y la frecuencia de las observaciones en El estudio de las características fenológicas de los árboles tropicales. Turrialba, San José, v. 25, n. 1, p. 45-48, 1975.

FRANKIE, G. W.; HABER, H. G; OPLER, P. A. Comparative phenological studies of trees in tropical wet and dry forests in the lowlands of Costa Rica. Journal Ecology, London, v. 62, n. 3, p. 881-913, 1974.

JACKSON, J. F. Seasonality of flowering and leaf-fall in Brazilian subtropical Lower Montane Moist Forest. Biotropica, Malden, v. 10, n. 1, p.38-42, 1978.

KOVACH, W. L. Oriana version 3.0 for windows. Anglesey: Kovach Computing Services, 2010.

LIEBSCH, D.; MIKICH, S. B. Fenologia reprodutiva da Floresta Ombrófila Mista. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 375-391, 2009.

MAACK, R. Geografia física do estado do Paraná. Curitiba: UEPG, 1968. 350 p.

MARQUES, M. C. M.; ROPER, J. J.; SALVALAGGIO, A. P. B. Phenological patterns among plant life-forms in a subtropical forest in southern Brazil. Plant Ecology, Dordrecht, v. 173, n. 2, p. 203-213, 2004.

MEDRI, M. E.; BIANCHINI, E.; PIMENTA, J. A.; COLLI, S.; MULLER, C. Estudos sobre a tolerância ao alagamento em espécies arbóreas nativas da bacia do rio Tibagi. In: MEDRI, M. E.; BIANCHINI, E.; SHIBATTA, O. A.; PIMENTA, J. A. (Ed.). A bacia do rio Tibagi. Londrina: Edição dos Editores, 2002. p. 133-172.

MORELLATO, L. P. C. Estudo da fenologia de árvores, arbustos e lianas de uma floresta semidecídua no Sudeste do Brasil. 1991. 210 f. Tese (Doutorado em Ecologia) - Universidade Estadual de Campinas, São Paulo. 1991.

MORELLATO, L. P. C. Sazonalidade e dinâmica de ecossistemas florestais na Serra do Japi. In: MORELLATO, L. P. C. (Org.). História natural da Serra do Japi – Ecologia e preservação de uma área de floresta no sudeste do Brasil. 1 Ed. Campinas: Unicamp/Fapesp, 1992. p. 98-110.

MORELLATO, L. P. C.; CAMARGO, M. G. G.; D’EÇA NEVES, F. F.; LUIZE, B. G.; MANTOVANI, A.; HUDSON, I. L. The influence of sampling method, sample size, and frequency of observations on plant phenological patterns and interpretation in tropical forest trees. In: HUDSON, I. L.; KEATLEY, M. (Ed.). Phenological research: methods for environmental and climate change analysis. Dordrecht: Springer, 2010. p. 99-121.

MORELLATO, L. P. C.; LEITÃO-FILHO, H. F.; RODRIGUES, R. R.; JOLY, C. A. Estratégias fenológicas de espécies arbóreas em floresta de altitude na Serra do Japi, Jundiaí São Paulo. Revista Brasileira de Biologia, São Carlos, v. 50, n. 1, p. 149-162, 1990.

MORELLATO, L. P. C.; RODRIGUEZ, R. R.; LEITÃO-FILHO, H. F. Estudo comparativo da fenologia de espécies arbóreas de floresta de altitude e floresta mesófila semidecídua na Serra do Japi, Jundiaí, São Paulo. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 12, n. 1-2, p. 85-98, 1989.

MORELLATO, L. P. C.; ROMERA, E. C.; TALORA, D. C.; TAKAHASHI, A.; BENCKE, C. C.; ZIPPARRO, V. B. Phenology of Atlantic Rain Forest trees: a comparative study. Biotropica, Malden, v. 32, n. 4b, p. 811-823, 2000.

NEWSTROM, L. E.; FRANKIE, G. W.; BAKER, H. G. A new classification for plant phenology based on flowering patterns in lowland tropical rain forest trees at La Selva, Costa Rica. Biotropica, Malden, v. 26, n. 2, p. 141-159, 1994.

PILON, N. A. L.; UDULUTSCH, R. G.; DURIGAN, G. Padrões fenológicos de 111 espécies de Cerrado em condições de cultivo. Hoehnea, São Paulo, v. 42, n. 3, p. 425-443, 2015.

REITZ, R. Alto Biguaçu. Florianópolis: Editora Lunardelli e EDUFSC, 1988. 584 p.

RODRIGUES, R. R; GANDOLFI, S. Conceitos, tendências e ações a recuperação de florestas ciliares. In: RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. F. (Ed.). Matas Ciliares – Conservação e Recuperação. 2 ed. São Paulo: EDUSP/FAPESP, 2004. p. 233-248.

VAN SCHAIK, C. P.; TERBORGH, J. W.; WRIGTH, S. J. The phenology of tropical forests: adaptative significance and consequences for primary consumers. Annual Review of Ecology and Systematics, Palo Alto, v. 24, n. 1, p. 353-377, 1993.

ZAR, J. H. Biostatistical analysis. 4 ed. New Jersey: Prentice-Hall, 1998. 929 p.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2019v32n2p45

Direitos autorais 2019 Marcos Vinícius Martins Bassaco, Antonio Carlos Nogueira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.