Caracterização bacteriológica de balneários do lago Guaíba

Verônica Schmidt, Lisiane Feck Avila, Maria Mercedes Bendati, Marisa Ribeiro de Itapema Cardoso

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi avaliar parâmetros microbiológicos e físico-químicos em pontos tradicionais de recreação do Lago Guaíba (Porto Alegre, RS). Para tanto, entre maio/94 e agosto/95, foram coletadas, mensalmente, amostras de água em três pontos do balneário Lami e um ponto do balneário Belém Velho. As maiores contagens (NMP/ 100 ml) encontradas variam entre 3x10²ufc  e 5x10 ufc, para Coliformes Totais (CT); e entre 5x10³ e 1,1x105 ufc, para de Coliforme  fecais (CF). Encontrou-se diferença significativa no NMP de CT e CF entre os bancários Lami e BV, mas não entre os três pontos do Lami (P<0,05). As características físicas e quimicas avaliadas apresentaram diferença estatística significativas entre as estações do ano, mas não entre os pontos amostrados. Não houve correlação entre as variáveis físico-químicas e bacteriológicas avaliadas. De vinte e seis amostras de E. coli testada, 84,6% apresentaram resistência a até quatro  antimicrobianos, enquanto 11,61% foram totalmente sensíveis. Os  maiores níveis de resistência encontrado foram frente a sulfonamida (88,46 %) e estreptomicina (34,61 %). Todas as amostras de E coli eram móveis e não produtoras de hemolisina. Sete amostras reagiram frente ao anti-soro EPEC e três amostras frente ao EIEC.


Palavras-chave


Coliforme; Características físico-químicas; Balneabilidade; Lago Guaíba

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2003 Verônica Schmidt, Lisiane Feck Avila, Maria Mercedes Bendati, Marisa Ribeiro de Itapema Cardoso

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.