Cultivo em larga escala de organismos planctônicos para alimentação de larvas e alevinos de peixes: I - Algas clorofíceas

Lúcia Helena Sipaúba-Tavares, Odete Rocha

Resumo


Três espécies de algas clorofíceas (Ankistrodesmus gracilis, Scenedesmus bijugus e Chlamydomonas sp.) foram cultivadas em larga escala tanto no meio CHU12 quanto em um meio alternativo de baixo custo, o adubo NPK. Os resultados indicam que três espécies exibem, quando cultivadas em Chu-12, taxas de crescimento muito semelhantes entre si. Já no meio NPK, as três espécies apresentaram taxas de crescimento de A. gracilis foi muito mais elevado do que o das outras espécies. Com relação ao rendimento, as respostas foram muito semelhantes para A. gracilis e S. bijugus (2,30 e 2,20 x 10(6) células/ml, respectivamente), quando cultivadas em meio NPK; com o uso do meio padrão CHU12, foi constatada alguma diferença (1,40 e 1,15 x 10(6) células/ml, respectivamente). Chlamydomonas sp. apresentou menor resposta de crescimento no meio CHU12 e NPK.

Palavras-chave


Algas clorofíceas; Curva de crescimento; Teor de carbono; Aquicultura

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1993 Lúcia Helena Sipaúba-Tavares, Odete Rocha

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.