Contribuição do estudo da drenagem sanguínea do rim de gambá (Didelphis aurita - Von Ihering, 1940)

Ademar de Souza, Vicente Borelli, Geraldo Morgado Fagundes, Maria Terezinha Teixeira Braga

Resumo


Foram utilizados 30 pares de rins de gambás adultos (15 machos e 15 fêmeas). Após a obtenção das preparações resultantes das injeções das veias renais com solução de vinilite e submetidos ao processo de corrosão em ácido sulfúrico a 30%, chegou-se as seguintes conclusões: 1) A veia renal, sempre única, forma-se da união dos troncos venosos ventral e dorsal (90% à direita e 70% à esquerda); 2) A formação da veia renal mostra simetria bilateral, quando formada pelos troncos venosos ventral e dorsal (66,7%) ou pelos troncos venosos cranial e caudal (3,3%); 3) Os troncos venosos ventral e dorsal ou cranial caudal surgem da confuência de coletores venosos cranial e caudal ou ventral e dorsal, respectivamente, que por sua vez, origina-se em média de dois a sete tributários com maior frequência de três e quatro, em ambos os lados. Os troncos venosos ventrais e dorsal ou cranial e caudal são constituídos diretamente inúmeros afuentes que variam de sete a treze com a prevalência de oito (à direita) e nove (à esquerda).

Palavras-chave


Anatomia; Rim; Veia; Gambá

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1992 Ademar de Souza, Vicente Borelli, Geraldo Morgado Fagundes, Maria Terezinha Teixeira Braga

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.