Organização social dos calitriquídeos: integração de dados de campo e cativeiro

Maria Emília Yamamoto, Arrilton Araújo

Resumo


Os calitriquídeos, tradicionalmente considerados como monogâmicos, foram recentemente apontados como poliândricos por alguns pesquisadores, em função de dados de campo. Neste ensaio são revistos alguns dos dados, tanto de campo como de cativeiro que tem servido de base para os dois tipos de proposição, tais como exclusividade reprodutiva da fêmea dominante, a formação de pares exclusivos em cativeiro, a hostilidade a adultos do mesmo sexo, o papel do pai no cuidado à prole, e a residência prolongada de filhotes adultos com o grupo familiar (monogamia), bem como a composição de grupos naturais, o cuidado à prole por machos subordinados e a primiscuidade da fêmea dominante (poliandria). Dados de nossos laboratórios sugerem que o sistema social pode ser flexível, sendo influenciado pela tolerância entre machos e pelo grau de parentesco. Essa mesma sugestão é feita com base em estudos comparativos da ecologia dos calitriquídeos. Conclui-se que a integração dos estudos de campo e cativeiro levarão à melhor compreensão desta questão.

Palavras-chave


Calitriquídeos; Organização social; Monogamia; Poliandria

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1991 Maria Emília Yamamoto, Arrilton Araújo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.