Contribuição ao estudos da drenagem sanguínea do rim de cães ( Canis familiaris – Linnaeus, 1758)

Geraldo Morgado Fagundes, Ademar de Souza Ademar de Souza, Vicente Borelli Vicente Borelli, Ambires Cecilio Machado Riella

Resumo


Foram utilizados 30 pares de rins de cães adultos (15) achos e (15) fêmeas, sem raça definida. Após a obtenção das preparações resultantes da injeção das veias  renais com solução de vinil e submetidas ao processo ao processo  de corrosão, chegou-se ás seguintes conclusões: 1) As veias renais surgem da confluência direta de dois troncos venosos: cranial e caudal  ( 73,3% à direita e 76,7% à esquerda) ou ventral e caudal (73,7% à  direita e 23,3% à esquerda). 2) Estes troncos venosos apresentam o mesmo  comportamento, no mesmo animal, 83,3% a saber: cranial e caudal  66,7% ou, ventral e dorsal 16,7%. 3) Os afluentes dos  troncos venosos cranial e caudal mantém ligações constituindo “arcos anastomóticos”, no sentido transversal, variando de um a três. 4) Presença  de rede venosa capsular em forma estrelada distribuída por quase toda superfície do órgão.


Palavras-chave


Anatomia; Veias; Rins; Cães.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1990 Geraldo Morgado Fagundes, Ademar de Souza Ademar de Souza, Vicente Borelli Vicente Borelli, Ambires Cecilio Machado Riella

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.