Psicologia comparativa: Validade e perspectivas

César Ades

Resumo


A Psicologia Comparativa cabe rejeitar tanto a posição cartesiana de uma diferença radical entre o comportamento do ser humano e o dos animais, como o reducionismo que toma o animal como modelo absoluto. Sua tarefa consiste em buscar–dentro da mesma intenção epistemológica–os princípios gerais e as características que decorrem do ajustamento especifico. A Psicologia comparativa, durante muito tempo relegada a uma posição periférica, está reencontrando sua vocação e firmando-se como perspectiva psicológica relevante. Seu programa inclui a investigação dos processos psicológicos básicos, dentro de um quadro de referencia evolutivo e a busca de compreenção biológica do comportamento humano.


Palavras-chave


Psicologia comparativa; Etologia; Reducionismo; Comportamento animal.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1990 César Ades

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.