Ecologia populacional de Paepalanthus polyanthus (Bong.) Kunth: variação temporal da distribuição espacial

Karla Zanenga Scherer, Tânia Tarabini Castellani

Resumo


A variação na densidade e no padrão de distribuição espacial de Paepalanthus polyanthus (Bong.) Kunth (Eriocaulaceae) foi avaliada ao longo de cinco anos em três parcelas permanentes de 25 m2, em uma area de baixada úmida de dunas (Praia da Joaquina, Florianópolis, SC). Ocorreram fortes oscilações populacionais neste período, com densidades iniciais de 10,4, 2,2 e 1,8 plantas/m2 e densidades finais de 75,8, 11,4 e 45,6 plantas/m2 nas Areas 1,2 e 3, respectivamente. Na área 3, mais seca, a densidade declinou a zero em dezembro de 1989, atingindo 102,2 plantas após recrutamento em maio de 1990. Apesar das flutuações de densidade, o padrão de distribuição espacial manteve-se sempre agregado (Id> 1, P<0,05). Os maiores valores de agregação ocorreram em períodos de baixa densidade e não naqueles de maior densidade, gerados pelo recrutamento de plantulas. A elevada produção de sementes com baixa dispersão, um padrão de germinação maciça em anos de maior umidade, uma mortalidade acentuada em trechos alagáveis e nos trechos mais elevados e secos do micro-relevo podem gerar tal padrão agregado e acentuá-lo ao longo do desenvolvimento das plantas.

Palavras-chave


Paepalanthus polyanthus; Distribuição espacial; Dunas costeiras; Planta monocárpica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2004 Karla Zanenga Scherer, Tânia Tarabini Castellani

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.