Morfologia da coluna vertebral do botocinza, Sotalia guianensis (Cetacea, Delphinidae)

Daniela de Castro Fettuccia, Paulo César Simões-Lopes

Resumo


Apresenta-se uma descrição da morfologia da coluna do boto-cinza (Sotalia guianenis) (n=34), bem como variações da fórmula vertebral (n=32) (UFSC - Universidade Federal de Santa catarina): Ce 7 , T12 , 1-10_12, Ca23_25 -= 52-56. Caracteres diagnósticos da espécie e variações intra-especificas são aqui apresentadas. Costelas cervicais ocorreram em 22,5 % da amostra (n=31). As metap6fises iniciam-se a partir da quarta torácica e as zigapófises surgem nas cervicais, podendo ser observadas até a T 11 . Os processos transversos e neural encontram-se mais eretos em torno da L5 OU L6. Nas vértebras caudais, os processos transversos deixam de existir entre a Ca 9 e Ca13 . 0 processo neural, o arco neural e as metapófises são observados até a Ca 13 ou Ca 15 . Os foramens caudais surgem entre a Ca3 e Ca6 . A altura do corpo da vertebra apresenta-se crescente até a Ca n, onde começa a diminuir. A largura maxima do corpo da vértebra é encontrada em torno da Ca6 , sendo que a partir dai o corpo da vértebra torna-se lateralmente comprimido. 0 comprimento do corpo da vértebra cresce entre a última cervical e a T7 e dai em diante mantém-se constante até a Ca n, diminuindo a partir deste ponto. Este é o primeiro estudo a considerar as variações intraespecificas de forma e contagem, oferecendo avanços sobre a abordagem tipológica tradicional.

Palavras-chave


Sotalia guianensis; Osteologia; Ossos; Morfologia; Coluna vertebral

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2004 Daniela de Castro Fettuccia, Paulo César Simões-Lopes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.