A zooterapia no Recife (Pernambuco): uma articulação entre as práticas e a história

Autores

  • Maria Letícia Vasconcelos da Silva Departamento de Biologia - Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Ângelo Giuseppe Chaves Alves Departamento de Biologia - Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Argus Vasconcelos de Almeida Departamento de Biologia - Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Medicina popular, Etnobiologia, Zooterapia, História da ciência

Resumo

A zooterapia é uma realidade ao longo da história das sociedades, embora seja relativamente pouco estudada. Este trabalho objetivou descrever e analisar o uso da fauna medicinal no Recife, partindo da identificação dos animais utilizados e das formas de indicação e preparo dos produtos zooterápicos, estabelecendo um paralelo das práticas populares atuais com a história da zooterapia na região. Os dados foram obtidos através de entrevistas abertas e semi-estruturadas, realizadas com especialistas populares em mercados públicos recifenses. Para revisão histórica, utilizaram-se registros do século XVII, das obras dos naturalistas nassovianos Guilherme Piso e Jorge Marcgrave. Registraram-se 18 etnocategorias taxonômicas de animais, usadas na medicina popular atual para tratamento de 12  enfermidades popularmente reconhecidas. As "receitas" envolvem recomendação de dosagens, associações com produtos fitoterápicos e regras culturais. Dentre as 18 etnocategorias taxonômicas, nove apresentaram similaridade com as registradas no século XVII. Porém, na maioria dos casos, as prescrições populares atuais diferem das do período colonial. Os resultados indicam forte presença da zooperapia no dia-a-dia, urna vez que as doenças citadas integram o cotidiano das camadas economicamente menos favorecidas da sociedade. Aprofundamentos nestes conhecimentos, crenças e praticas populares poderão contribuir para pesquisas médicas e farmacológicas e para a compreensão das relações com os recursos naturais e sua conservação.

Biografia do Autor

Ângelo Giuseppe Chaves Alves, Departamento de Biologia - Universidade Federal Rural de Pernambuco

Possui Graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal da Paraíba, Mestrado em Ciências do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos e Pós-Doutorado em Ciência do Solo na Universidade Técnica de Lisboa.

Mais informações no Currículo Lattes.

Argus Vasconcelos de Almeida, Departamento de Biologia - Universidade Federal Rural de Pernambuco

Possui Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pernambuco, Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pernambuco, Mestrado em Agronomia (Fitossanidade) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco e Doutorado em Psicologia Cognitiva pela Universidade Federal de Pernambuco.

Mais informações no Currículo Lattes.

Downloads

Publicado

2004-01-01

Edição

Seção

Artigos