Morfometria do encéfalo e formação do circuito arterioso em coelhos Nova Zelândia

Janaina de Oliveira Portugal, Sara Otoni Silva Moraes, Rayssa Mariano Reis, Marcelo Salvador Gomes, Marcelo Abidu-Figueiredo

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2014v27n2p147

O objetivo deste artigo é descrever as principais ramificações da artéria basilar, a formação do circuito arterioso, e a morfometria do encéfalo em coelhos adultos de ambos os sexos. Foi realizada canulação da aorta torácica através de incisão lateral, fixação com solução de formaldeído a 10% e preenchimento do sistema arterial com solução de látex corado. Procedeu-se à craniotomia, remoção e morfometria do encéfalo, além de dissecção para a observação das ramificações principais da artéria basilar e da formação do circuito arterioso. A média e erro padrão do comprimento da artéria basilar foram de 1,293 cm ± 0,024 nas fêmeas e 1,227 cm ± 0,025 nos machos. Em todos os coelhos dissecados, a artéria basilar se originou da anastomose das artérias vertebrais, direita e esquerda, emitindo a artéria cerebelar caudal, ramos variados para bulbo e ponte, ramos terminais e artérias cerebelares rostrais. As artérias da base do encéfalo estiveram na dependência dos sistemas carótico e vértebro-basilar. O circuito arterioso do cérebro estava fechado rostralmente em 10 machos e 12 fêmeas e fechado caudalmente em todos os animais dissecados.


Palavras-chave


Cérebro; Coelho; Vascularização arterial

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2014v27n2p147

Direitos autorais 2014 Janaina de Oliveira Portugal, Sara Otoni Silva Moraes, Rayssa Mariano Reis, Marcelo Salvador Gomes, Marcelo Abidu-Figueiredo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.