Avaliação do efeito do Roundup® original em Biomphalaria glabrata

Autores

  • Marta Julia Faro Instituto Oswaldo Cruz
  • Vanessa Silva Moura Instituto Oswaldo Cruz
  • Ronaldo Carvalho Augusto Instituto Oswaldo Cruz
  • Mauricio Carvalho Vasconcellos Fundação Oswaldo cruz

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2021.e77320

Palavras-chave:

Agrotóxicos, Moluscos

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar a ação do Roundup® original sobre o molusco Biomphalaria glabrata, infectado e não infectado por Schistosoma mansoni, observando a mortalidade e a biologia reprodutiva. Os caramujos foram submetidos às concentrações aquosas: 0,1; 0,09; 0,08; 0,07; 0,06; 0,05; 0,04; 0,03; 0,02, 0,018; 0,016; 0,014; 0,012 e 0,01 (%) do Roundup Original® para a determinação da CL50, sendo essa concentração testada durante 30 dias sobre os moluscos. Para a observação da atividade reprodutiva frente à exposição ao agrotóxico, quatro grupos de B. glabrata foram formados: infectados e expostos ao agrotóxicos, infectados e não expostos (controle), não infectados e expostos e não infectados e não expostos (controle). A CL50 (0,012% da solução aquosa do Roundup original) apresentou mortalidade que não ultrapassou 95%, 24, 48 e 72 h de exposição durante os 30 dias e perdendo totalmente o efeito após o 27º dia de teste. A atividade reprodutiva de caramujos não infectados e expostos foi de 30,3 ± 20,5 ovos em 2,7 ± 1,2 massas ovígeras, sendo observada redução de 51% na média de moluscos eclodidos (11,5 ± 7,5) em comparação ao grupo controle (23,9 ± 18,0) ao longo de quatro semanas (p = 0,003). Os resultados indicam que a concentração letal (CL50) da solução aquosa 0,012% do Roundup Original tem ação significativa sobre B. glabrata durante 27 dias. O Roundup diminui significativamente a fertilidade dos moluscos infectados e expostos em comparação com o grupo controle.

Biografia do Autor

Marta Julia Faro, Instituto Oswaldo Cruz

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Gama Filho (1983), Especialização em Saúde Pública (1990) pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/FIOCRUZ), mestrado em Medicina Veterinária (Parasitologia Veterinária) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1995) e Doutorado em Biologia Parasitária (2011) pelo Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz. É Pesquisador Titular em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (RJ) e lotada no Instituto Oswaldo Cruz, Laboratório de Biologia Parasitologia de Mamíferos Silvestres e Reservatórios. Tem experiência na área de Parasitologia, Malacologia e Helmintologia com ênfase na relação parasito-hospedeiro. Atua no estudo da reprodução dos moluscos limnícos, principalmente dos transmissores da esquistossomose (Biomphalaria glabrata, Biompahalaria straminea e Biomphalaria tenagophila) e dos fatores que infuenciam na reprodução desses moluscos como infecção e outras situações de stress. Desenvolve também pesquisas em esquistossomose através de levantamento malacológico para identificação de criadouros/focos de moluscos transmissores para determinar sua taxa de infecção para o Schistosoma mansoni. Atualmente vem desenvolvendo trabalhos com Biomphalarias spp para avaliar os efeitos dos herbicidas nesse molusco, observando as alterações nas atividades reprodutiva, sobrevivência, sistema imune, histopatologia e bioquímica.

Vanessa Silva Moura, Instituto Oswaldo Cruz

Mestranda no programa de pós-graduação Biologia Humana e Experimental da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Graduada em Ciências Biológicas com Licenciatura Plena pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Faculdade de Formação de Professores (FFP), localizada no município de São Gonçalo, Rio de Janeiro. Com experiencia na área de parasitologia, com enfoque em estudos envolvendo Schistosoma mansoni.

Ronaldo Carvalho Augusto, Instituto Oswaldo Cruz

INSERM Postdoc Researcher at ENS-Lyon (France), previous CNRS Postdoc Researcher at Universite de Perpignan (France); Doctor in Parasite Biology at Oswaldo Cruz Institute, Fiocruz (Brazil); Master in Veterinary Science, specialization in Veterinary Parasitology by Federal Rural University of Rio de Janeiro (UFRRJ)(Brazil); Degree in Biological Sciences (UFRRJ) in 2010. I am a biologist with strong research interest in how environmental cues lead to changes in cell/animal development with focus on understanding host-pathogen interactions. My academic training was initiated by a PhD thesis at the Oswaldo Cruz Foundation (FIOCRUZ, Brazil) where I received solid training in electron microscopy, transcriptomic and proteomic approaches. As a CNRS postdoc, I worked on chromatin immunoprecipitation of small cell numbers for stem cell research. Nowadays with role of ribosomes and mRNA translation in shaping the inflammatory response.

Mauricio Carvalho Vasconcellos, Fundação Oswaldo cruz

Pesquisador Titular em Saúde Pública do Laboratório de Avaliação e Promoção da Saúde Ambiental - LAPSA do Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ . Ph.D. em Medicina Veterinária-Parasitologia Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2000), M..Sc. em Medicina Veterinária-Parasitologia Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1996), Especialista em Medicina Veterinária-Parasitologia Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1994), Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Gama Filho (1984). Chefe do Departamento de Biologia do Instituto Oswaldo Cruz (2005-2006). Coordenador do Núcleo de Biologia e Controle de Endo e Ectoparasitas de Interesse Médico e Veterinário do Instituto Oswaldo Cruz (1997- 2005). Coordena projetos na área de Parasitologia, com ênfase em Helmintologia Humana e Animal, atuando principalmente nas áreas de: Epidemiologia e Controle da Fasciolose hepatica, Helmintoses humanas e animais, Zoonoses, Moluscicidas de origem vegetal e Controle de moluscos hospedeiros.

Referências

ALMEIDA, P. R. Toxidade aguda (LC50) e efeitos comportamentais e toxicológicos do formulado comercial Roundup original® em girinos de Physaleumus curvieri (Anura leptodactilidae) e Rhinella icterica (Anura; Bufonidae). 2014. 95 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Engenharia Ambiental) - Universidade Federal de Alfenas, Poços de Caldas. 2014.

AUGUSTO, R. C.; FRIANI, G. V.; VASCONCELLOS, M. C.; RODRIGUES, M. L. A.; MELLO-SILVA, C. C. Schistosoma mansoni: phytochemical effect on aquatic life cycle. Open Journal Veterinary Medicine, Taipei, v. 5, p. 127-132, 2015.

BRASIL. Vigilância e controle de moluscos de importância epidemiológica: diretrizes técnicas. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2008. 178 p.

CANTINA, R. S. Estudo da resposta do caramujo Biomphalaria glabrata (Say, 1818) frente a estímulos ambientais estressores, com enfoque na proteína HSP70. 2012. 156 f. Tese (Doutorado em Tecnologia Nuclear – Aplicações) - Universidade de São Paulo, São Paulo. 2012.

CARVALHO, O. S.; COELHO, P. M. Z.; LENZI, H. L. Schistosoma mansoni & esquistossomose: uma visão multidisciplinar. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008. 1124 p.

COSTA-SILVA, M.; ANDRADE, B. L.; GARCIA, J. S.; NEVES, R. H.; RODRIGUES-SILVA, R.; MACHADO-SILVA, J. R.; MALDONADO-JUNIOR, A. Susceptibility of a Brazilian wild rodent isolate of Schistosoma mansoni to praziquantel in mice. Experimental Parasitology, Amsterdam, v. 130, p. 394-399, 2012.

FARO, M. J.; PERAZZINI, M.; CÔRREA, L. R.; MELLO-SILVA, C. C.; PINHEIRO, J.; MOTA, E. M.; SOUZA, S.; ANDRADE, Z.; MALDONADO, A. J. Biological, biochemical and histopathological features related to parasitic castration of Biomphalaria glabrata infected by Schistosoma mansoni. Experimental Parasitology, Amsterdam, v. 134, p. 228-234, 2013.

FERNANDEZ, M. A. Schistosoma mansoni infections in the three months of life of sympatric intermediate host Brazil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 92, n. 1, p. 27-29, 1997.

FINNEY, D. J. Probit analysis. 3 ed. New Delhi: Cambridge University Press, 1971. 333 p.

GERALDINO, B. R. Estudo dos efeitos embriotóxicos de xenobióticos em Biomphalaria glabrata. 2004. 92 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Rio de Janeiro. 2004.

GHAFFAR-ABDEL, F.; AHMED, A. K.; BAKRY, F.; RABEI, I.; IBRAHIM, A. The impact of three herbicides on biological and histologal aspects of Biomphalaria alexandrina, intermediate host of Schistosoma mansoni. Malacologia, Ann Arbor, v. 59, n. 2, p. 197-210, 2016.

GILLET, J.; BRUAUX, P. Essais en laboratoire des nouveaux molluscicides Bayer 73 et ICI 24223. Bulletin World Health Organization, Geneva, v. 25, p. 509-517, 1961.

GUSTAFSON, K. D.; BELDEN, J. B.; BOLEK, M. G. The effects of the herbicide atrazine on freshwater snails. Ecotoxicology, Knoxville, v. 24, p. 1183-1197, 2015.

KOPRIVNIKAR, J.; WALKER, P. A. Effects of the herbicide atrazine’s metabolites on host snail mortality and production of trematode cercariae. Journal of Parasitology, Lawrence, v. 95, n. 5, p. 823-827, 2011.

LEITE, M. G. P.; PIMENTA, E. C.: FUJACO, M. A. G.: ESKINAZI-SANT, A. Irrigation canais in Melo creek basin (Rio Espera and Capaela Nova municipals, Minas Gerais, Brazil): habitats to Biomphalaria (Gastropoda:Planorbidae) and potencial spread of schistosomiasis. Brazilian Journal of Biology, São Carlos, v. 76, n. 3, p. 638-644, 2016.

MELLO-SILVA, C. C.; VILAR, M. M.; BEZERRA, J. C. B.; VASCONCELLOS, M. C.; PINHEIRO, J.; RODRIGUES, M. L. Reproductive activity alterations on the Biomphalaria glabrata exposed to Euphorbia splendes var. histopii latex. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 102, n. 6, p. 671-674, 2007.

MOHAMED, A. H. Subletal toxicity of Roundup to immunological and molecular aspects of Biomphalaria alexandrina to Schistosoma mansoni infection. Ecotoxicology Environmental Safety, New York, v. 74, p. 754-760, 2011.

MONSANTO. Roundup original®. 2018. Disponível em <https://monsanto.com>.

MONTE, T. C. C.; MALDONADO-JÚNIOR, A. What do we know about the effects of pesticides on helminths? JSM Biology, Jiangsu, v. 2, n. 1, p. 1-6, 2017.

OLIVEIRA-FILHO, E. C.; GRISOLIA, C. K.; PAUMGARTTEN, F. J. R. Effects of endosulfan and ethanol on reproduction of the snail Biomphalaria tenagophila: A multigeration study. Chemosphere, Elmsford, v. 75, p. 398-404, 2009.

PARAENSE, W. L.; CORRÊA, L. R. A potential vector of Schistosoma mansoni in Uruguai. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 84, n. 3, p. 281-288, 1989.

PERES, F.; MOREIRA, J. C. Saúde e ambiente em sua relação com o consumo de agrotóxicos em um pólo agrícola do Estado do Rio de Janeiro. Cadernos de Saúde Pública, São Paulo, v. 23, Suppl 4, p. 612-621, 2007.

PROSSER, R. S.; GIL-RODRIGUEZ, J. L.; SOLOMON, K. R.; SIBLEY, P. K.; POIRIER, D. G. Effects of the herbicide surfactant mon 0818 on oviposition and viability of eggs of the Ramshorn snail (Planorbella pilsbryi). Environmental Toxicology and Chemistry, Houston, v. 9999, p. 1-10, 2016.

RELYEA, R. A. The impact insecticides and herbicides on the biodiversity and productivity of aquatic communities. Ecological Applications, Ithaca, v. 15, n. 2, p. 618-627, 2005.

RITTSCHOF, D.; MCCLELLAN-GREEN, P. Molluscs as multidisciplinary models in environment toxicology. Marine Pollution Bulletin, Amsterdam, v. 50, p. 369-373, 2005.

TOLEDO, R.; FRIED, B. Biomphalaria snails and larval tremadodes. 1 ed. New York: Springer, 2011. 157 p.

VASCONCELLOS, M. C.; AMORIM, A. Molluscicidal action of Euphorbia splendens var. hislopii N.E.B. (Christ!s Crown) (Euphorbiaceae) against Lymnaea columella Say, 1817 (Pulmonata: Lymnaeidae), intermediate host of Fasciola hepatica Linnaeus, 1758 (Trematoda: Fasciolidae). 1: Test in Lab. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 98, n. 4, p. 557-563, 2003.

Publicado

2021-03-04

Edição

Seção

Artigos