O consumo da rã-manteiga (Leptodactylus macrosternum Leptodactylidae: Anura) no estado de Rondônia na Amazônia brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2021.e80161

Palavras-chave:

Anfíbios, Caça, Entrevista, Etnozoologia, WhatsApp

Resumo

O registro do uso de anuros para autoconsumo alimentar na Amazônia brasileira é inexistente. Diante desse cenário, o objetivo desse estudo é apresentar o primeiro registro de uso alimentar de rã-manteiga na Amazônia rondoniense. Os dados foram levantados via entrevista com dois migrantes do estado do Espírito Santo, atualmente residentes no município de Itapuã do Oeste em Rondônia. Os entrevistados faziam o uso de uma rã-manteiga (possivelmente Leptodacylus latrans) em seu estado de origem, e após localizarem uma espécie similar (Leptodactylus macrosternum) e confirmarem a possibilidade de consumo com a mãe via WhatsApp, passaram a consumir a rã. Esse registro demonstra como certos costumes relacionados com o consumo de animais silvestres pode ser mantido em novas localidades e como as ferramentas de mensagens instantâneas podem colaborar com troca de informações sobre espécies de caça.

Biografia do Autor

Marcela Alvares Oliveira, Universidade Federal de Rondônia

Bióloga e doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia na Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Realiza investigação sobre o uso de zooterápicos, a interação entre seres humanos e animais selvagens, ecologia e distribuição de mamíferos (especialmente primatas), caça de subsistência, caça desportiva, e consumo de carne selvagem na porção sul da Amazônia brasileira. Faz parte da RedeFauna, um grupo de investigadores dedicados à conservação e gestão da fauna amazónica.

 

Ana Paula Vitória Costa Rodrigues , Escola de Ensino Superior da Amazônia

Mestre em Zoologia com ênfase em Evolução e Biodiversidade, pelo Museu Paraense Emilio Goeldi/Universidade Federal do Pará (2013-2015), Graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário do Pará (2009-2012). Professora Substituta da Universidade do Estado do Pará (2016 - 2018). Técnica em Gestão ambiental no Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (2018 - 2019). Pesquisadora no Projeto de Monitoramento de Primatas na Floresta Nacional de Saracá-Taqüera (2019-2020). Experiência na área de Zoologia, com ênfase em Herpetologia, Biogeografia, Evolução e Sistemática de répteis. Experiência com educação e ensino de Biologia do ensino fundamental até o ensino superior (Incluíndo Projeto de Educação Ambiental). Experiência em expedições de campo e preparo de material para coleções zoológicas. Experiência com manejo de Fauna Silvestre. Atualmente divulgadora científica pelo projeto Herpetologia Segundo as Herpetólogas.

Mariluce Rezende Messias , Universidade Federal de Rondônia

Graduada em Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (1990), mestrado em Ciências Biológicas (área de concentração Zoologia) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Campus Rio Claro/SP (1995) e doutorado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela UNESP Rio Claro/SP (2002). Docente da Fundação Universidade Federal de Rondônia -UNIR, Campus de Porto Velho, Departamento de Biologia. Docente Permanente do PPG Conservação e Uso dos Recursos Naturais - PPGReN, Dept de Biologia, UNIR, Porto Velho. Pesquisadora Associada ao PPG BIONORTE, regional RO. Vice-líder o grupo de pesquisas "Estudos ecológicos da biodiversidade da Amazônia Sul-Ocidental". Áreas de pesquisa: ecologia, comportamento e biogeografia de mamíferos de médio e grande porte terrestres, monitoramento de impactos em comunidades de vertebrados terrestres, mamíferos silvestres reservatórios de zoonoses. Coordenadora do Lab. de Mastozoologia & Vertebrados Terrestres. .Curadora as Coleções de Referência de Vertebrados Terrestres do estado de Rondônia - grupos avifauna, herpetofauna e mastofauna. Coordenadora do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso de Bacharelado em CB de Porto Velho.

Carolina Rodrigues da Costa Doria , Universidade Federal de Rondônia

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Londrina (1991), mestrado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais pela Universidade Estadual de Maringá (1994), doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido pela Universidade Federal do Pará (2004) e pós-doutorado em Gestão Pesqueira na Universidade da Florida . Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal de Rondônia, Docente do Departamento de Biologia, do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente e da Rede Bionorte. Visiting Faculty in the Center for Latin American Studies of University of Florida. Também membro da Ação Ecológica Guaporé (ECOPORÉ - ONG). Meus interesses de pesquisa incluem ictiologia e gestão pesqueira, gestão comunitária dos recursos naturais, impactos das barragens, governança e resiliência dos sistemas sócio-ecológicos na Amazônia.

Referências

ALVES, R. R. N.; OLIVEIRA, T. P. R.; MEDEIROS, M. F. T. Trends in medicinal uses of edible wild vertebrates in Brazil. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine, New York, v. 2017, p. 4901329, 2017.

BELFORT, M. J. S.; BARBOSA, G. S.; SILVA, C. P.; OLIVEIRA, M. A. Perception of subsistence hunters in Lower Madeira on the impact of the Santo Antônio Hydroelectric Power Plant. Revista Brasileira de Ciências da Amazônia, Rolim de Moura, v. 9, n. 3, p. 16-25, 2020.

CALDERON, L. A.; DELAIX-ZAQUEO, K.; ZAQUEO, K. D.; SERRANO, R. P.; MESSIAS, M. R.; CARDOZO-FILHO, J. L.; DINIZ-SOUSA, R.; HOLANDA, R. J.; REGO, T. B.; STABELI, R. G. Amphibia, Anura, Leptodactylidae, Leptodactylus chaquensis: Distribution extension and geographic distribution map. Check List, Rio Claro, v. 5, n. 3, p. 425-427, 2009.

CAMPOS, F. L.; NETO, E. M. D. F. L.; COSTA-NETO, E. M.; FERREIRA, F. Rural populations of Alagoinhas and herpetofauna: knowledge, uses and interactions. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, London (In press).

CAMURUGI, F.; MAGALHAES, F. D. M.; QUEIROZ, M. H. C.; PEREIRA, T. C. S. O.; TAVARES-BASTOS, L.; LOPES-MARINHO, E. D. S.; NEVES, J. M.; GARDA, A. A. Reproduction, sexual dimorphism, and diet of Leptodactylus chaquensis (Anura, Leptodactylidae) in northeastern Brazil. Herpetological Conservation and Biology, Fresno, v. 12, n. 2, p. 498-508, 2017.

DIAS, M. A. S.; LIMA, N. B.; FIGUEIREDO-DE-ANDRADE, C. A. Análise do conhecimento etno-herpetológico dos estudantes no município de Salinas, Minas Gerais, Brasil. Acta Biomedica Brasiliensia, Santo Antônio de Pádua, v. 9, n. 1, p. 36-47, 2018.

FERNANDES-FERREIRA, H.; MENDONÇA, S. V.; CRUZ, R. L.; BORGES-NOJOSA, D. M.; ALVES, R. R. N. Hunting of herpetofauna in montane, coastal, and dryland areas of northeastern Brazil. Herpetological Conservation and Biology, Fresno, v. 8, n. 3, p. 652-666, 2013.

FERREIRA, D. S. S.; CAMPO, C. E. C.; ARAÚJO, A. S. Aspectos da atividade de caça no Assentamento Rural Nova Canaã, município de Porto Grande, estado do Amapá. Biota Amazônia, Amapá, v. 2, n. 1, p. 22-31, 2012.

FERREIRA, F. C. L.; FERREIRA, R. B. Qual a percepção dos moradores do entorno da Reserva Biológica Augusto Ruschi (Espírito Santo, Brasil) sobre os anfíbios anuros? Ethnoscientia, Botucatu, v. 4, p. 1-11, 2019.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD. 2007 Disponível em https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/educacao/9127-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios.html?=&t=o-que-e.

IBGE. IBGE cidades. 2017. Disponível em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ro/porto-velho/panorama.

LEMOS, L. P.; EL BIZRI, H. R.; VALSECCHI, J.; SANTOS, A. S.; KOGA, D. M; ENNES, F. Caça de vertebrados no Parque Nacional da Serra do Divisor, Acre. Biodiversidade Brasileira, Brasília, v. 8, n. 1, p. 69-88, 2018.

MCCUBBIN, S. G. The Cecil Moment: celebrity environmentalism, Nature 2.0, and the cultural politics of lion trophy hunting. Geoforum, Amsterdam, v. 108, p. 194-203, 2020.

MENDONÇA, L. E. T.; VIEIRA, W. L. S.; ALVES, R. R. N. Caatinga ethnoherpetology: relationships between herpetofauna and people in a semiarid region of northeastern Brazil. Amphibian & Reptile Conservation, Bournemouth, v. 8, n. 1, p. 24-32, 2014.

OLIVEIRA, I. S.; FREIRE, E. M. X. Conhecimento ecológico local sobre anfíbios anuros por agricultores em sistemas agrícolas de região semiárida brasileira. Brazilian Journal of Environmental Sciences, Rio de Janeiro, v. 36, p. 198-211, 2015.

OLIVEIRA, M. A; CALOURO, A. M. Hunting agreements as a strategy for the conservation of species: the case of the Cazumbá-Iracema Extractive Reserve, state of Acre, Brazil. Oecologia Australis, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 357-366, 2019.

ONADEKO, A. B.; EGONMWAN, R. I.; SALIU, J. K. Edible amphibian species: local knowledge of their consumption in southwest Nigeria and their nutritional value. West African Journal of Applied Ecology, Legon, v. 19, n. 1, p. 67-76, 2011.

RAMOS, C. G. S.; SANTOS, R. B.; DOS SANTOS, R. W. C.; OLIVEIRA, M. A. Hunting in a community of waste pickers of recyclable materials in Rondônia, Brazil. Revista Brasileira de Ciências da Amazônia, Rolim de Moura, v. 9, n. 3, p. 4-15, 2020.

STAFFORD, C. A.; PREZIOSI, R. F.; SELLERS, W. I. A pan-neotropical analysis of hunting preferences. Biodiversity and Conservation, New York, v. 26, p. 1877-1897, 2017.

SUPRAYITNO, Q. N.; NARAKUSUMO, R. P.; VON RINTELEN, T.; HENDRICH, L.; BALKE, M. Taxonomy and biogeography without frontiers–WhatsApp, Facebook and smartphone digital photography let citizen scientists in more remote localities step out of the dark. Biodiversity Data Journal, Sofia, v. 5, e19938, p. 1-38, 2017.

VAN VLIET, M. T. H.; FLÖRKE, M.; WADA, Y. Quality matters for water scarcity. Nature Geoscience, London, DOI: 10.1038/ngeo3047, 2017.

Publicado

2021-08-26

Edição

Seção

Short Communication