O escritor migrante e a ficção diaspórica

Shirley de Souza Gomes Carreira

Resumo


Em Imaginary Homelands, Salman Rushdie afirma que escritores migrantes, como ele, que pertencem a dois mundos ao mesmo tempo, posto que têm sido transportados através do mundo, são homens traduzidos.. O homem híbrido está na confluência das misturas, das transformações, nas combinações de novas culturas, idéias e políticas. É, portanto, um homem que não pode pensar em si mesmo como o fruto de uma identidade condicionada ao que Marc Augé denomina “lugar antropológico”. Este artigo analisa o romance Fúria, de Salman Rushdie, a fim de demonstrar como a obra retrata a questão da identidade do ponto de vista de um escritor migrante.


Palavras-chave


Identidade; Migração; Representação

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-9851.2009v10n96p44

Direitos autorais 2009 Shirley de Souza Gomes Carreira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

 

Cad. de Pesq. Interdisc. em Ci-s. Hum-s., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1984-8951.