Freud e Lady Macbeth

Rafael Raffaelli, Beatriz Schmidt

Resumo


O presente estudo é uma revisão das formulações freudianas sobre a peça Macbeth, de William Shakespeare, avançando, especialmente, na interpretação das motivações de Lady Macbeth – personagem que, segundo Freud, é um exemplo típico de personalidade que entra em derrocada ao alcançar o que ambiciona. São levantados aspectos adicionais, a partir das considerações de Harold Bloom, que visam avançar alguns pontos não contemplados nas teses freudianas concernentes à tragédia sem, contudo, invalidá-las. Ressalta-se ainda o caráter especulativo da análise da personalidade de uma personagem de peça teatral, tendo em vista que nenhuma interpretação pode afirmar-se como definitiva.

Palavras-chave


Shakespeare; Freud; Lady Macbeth

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/5240

Direitos autorais 2008 Rafael Raffaelli, Beatriz Schmidt

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

 

Cad. de Pesq. Interdisc. em Ci-s. Hum-s., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1984-8951.