Setor de conservas da região de Pelotas (RS): mudanças na produção e conservadorismo nas relações de trabalho

Laura Senna Ferreira

Resumo


A maioria das fábricas do setor conserveiro da região de Pelotas, no Rio Grande do Sul, foram fechadas a partir de 1990, o que representou um intenso desemprego na região, essencialmente, para as mulheres, maior parte dos empregados no ramo. A reestruturação empresarial fragilizou a posição de trabalhadores e sindicatos do setor, e as formas coletivas de organização viram-se restritas. A partir das entrevistas narrativas e história oral, buscou-se compreender porque o ritmo das transformações produtivas, em termos tecnológicos, não foi acompanhado por alterações em determinadas relações de trabalho. Procurou-se identificar os elementos e motivos da intensificação do desemprego, informalidade e precarização narrados pelos trabalhadores, bem como, questionou-se as razões para a permanência do predomínio da mão-de-obra feminina e da sazonalidade da produção.


Palavras-chave


Reestruturação produtiva; Relações de trabalho; Conservadorismo; Desemprego; Indústria conserveira

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1980-3532.2011n5p47

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License.

Em Debat: Rev., ISSNe 1980-3532, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.