Grandes tradições teóricas em Relações Internacionais e o processo de apoio estatal à internacionalização de empresas

Autores

  • Rafael Murgi Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP, UNICAMP e PUC-SP)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-3532.2013n9p123

Resumo

As principais tradições teóricas em relações internacionais apresentam precipuamente grande poder explicativo sobre assuntos relacionados a segurança, particularmente em relação ao papel do Estado e ao comportamento estatal adequado para garantir a sobrevivência contra agressões externas. Com as transformações ocorridas no capitalismo mundial a partir dos anos 1970, que foram apoiadas pelos avanços nas tecnologias da informação e comunicação e pela intensificação do fluxo de transporte internacional e que conduziram à participação de uma maior variedade de atores na arena internacional e à interdependência entre estados, percebeu-se a necessidade da adoção de uma temática expandida na análise das relações internacionais.  Com base neste cenário, o presente artigo procurará apresentar a maneira pela qual cada uma das grandes tradições teóricas em Relações Internacionais, o Realismo e o Liberalismo, pode explicar a política de apoio estatal à internacionalização de empresas, explicitando suas divergências e suas dificuldades na explicação desta política.

Biografia do Autor

Rafael Murgi, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP, UNICAMP e PUC-SP)

Rafael Murgi atua como Analista Internacional na Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade - Investe São Paulo. Entre suas atribuições, estão a participação na recepção de delegações estrangeiras e a representação da Investe São Paulo em eventos e seminários organizados por câmaras de comércio, consulados, embaixadas e entidades de classe. Previamente, atuou como analista no departamento de investment banking do Banco Fator, onde participou de projetos de avaliação econômico-financeira de empresas e de estudos de viabilidade. Suas atividades envolviam também a análise do mercado brasileiro de emissão de títulos de renda fixa. Rafael é mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP, UNICAMP e PUC-SP) e graduado em Ciências Econômicas pela Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2013-06-30

Edição

Seção

Artigos