Experiência e utopia em Theodor W. Adorno, André Gorz e François Dubet

Autores

  • Sílvio César Camargo Universidade Presidente Antônio Carlos

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

O artigo tem como objetivo destacar a importância do conceito de experiência para a compreensão da
sociedade contemporânea. Conceito bastante complexo quanto a sua possibilidade de apreensão pela sociologia, experiência se refere tanto a problemas relativos ao conhecimento e suas possibilidades, mas também para as possibilidades de transformação da sociedade. Entende-se que há três teóricos da sociedade contemporânea, que partindo de bases epistemológicas diferentes, problematizam a emancipação humana a partir de uma singular atenção ao conceito de experiência. Theodor W. Adorno, André Gorz e François Dubet representam três formas de pensamento sobre a sociedade bastante diferentes, mas que possuem em comum o interesse normativo, e seu confronto nos mostra a importância do conceito de experiência para a compreensão da sociedade contemporânea e para pensar-se a utopia.

Biografia do Autor

Sílvio César Camargo, Universidade Presidente Antônio Carlos

É Bacharel em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994), Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (2001) e Doutor em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (2009). Atua como docente e pesquisador na área de Sociologia, com ênfase em teoria sociológica e teoria social contemporânea, abordando principalmente os seguintes temas: capitalismo, modernidade, Teoria Crítca, trabalho imaterial e cultura contemporânea. É autor dos livros "Modernidade e Dominação: Theodor Adorno e a Teoria Social Contemporânea" (2006) e "Trabalho Imaterial e Produção Cultural: a dialética do capitalismo tardio" (no prelo).

Downloads

Publicado

2007-08-01

Edição

Seção

Artigos