Teoria da escolha racional: a evidenciação do homo economicus?

Fernando Scheeffer

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1806-5023.2013v10n1p28

Não há como negar que recentemente a abordagem econômica, ou também conhecida como teoria da escolha racional, ganha corpo na Ciência Política e na Sociologia, sobretudo para explicar a ação coletiva, ou então, o que leva os indivíduos a participarem e agirem enquanto grupo. Diante desse contexto, o presente trabalho pretende expor os principais pressupostos da teoria da escolha racional, para em um segundo momento testá-los com o intuito de saber em que medida este enfoque tem um bom poder explicativo. Para tal é apresentado e questionado o conceito de racionalidade, alicerce fundamental da teoria da escolha racional, e contraposta a mesma ao enfoque sociológico e principalmente à abordagem psicossociológica. De fato, embora tenhamos um homem racional e autointeressado, parece coerente afirmar que esta é uma dentre várias abordagens que se prendem a aspectos diversos para buscar compreender um homem complexo e multifacetado. Neste âmbito o enfoque psicossociológico ganha destaque por conseguir assimilar este entrave e compreendê-lo enquanto ser em relação, ou seja, dando ênfase aos atores coletivos sempre em interação, relação e negociação com o que os rodeia.


Palavras-chave


Ação Coletiva; Teoria da Escolha Racional; Homo Economicus

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1806-5023.2013v10n1p28

Direitos autorais 2013 Fernando Scheeffer

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Em Tese, revista editada por discentes do PPGSP da UFSC, Brasil, ISSNe 1806-5023

Licença Creative Commons
Revista licenciado pela Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.