Entre a vida e a razão: o fundamento da ação em debate

Robson Souza Rocha de Souza Júnior

Resumo


A proposta central deste artigo é explorar as diferenças fundamentais entre a teoria da ação de Max Weber e Georg Simmel, estas que, apesar de serem frutos de um mesmo período histórico – a modernidade – estatuíram concepções diametralmente opostas acerca da natureza do homem e de sua atividade típica. Enquanto Weber baseia sua teoria da ação no valor genérico da razão, Simmel enxerga a ação como fundamentada pela inesgotabilidade produtiva da vida. Após buscar demonstrar, através de um empreendimento arqueológico, os princípios-guia sobre os quais se sustentam as duas teorias da ação, estabelecer-se-á uma confrontação entre elas, a fim de sopesar suas divergências fundamentais.


Palavras-chave


Ação; Vida; Razão; Georg Simmel; Max Weber

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1806-5023.2013v10n1p44

Direitos autorais 2013 Robson Souza Rocha de Souza Júnior

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Em Tese, revista do PPGSP da UFSC, Brasil, ISSNe 1806-5023

Licença Creative Commons
Revista licenciado pela Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.