Transexualidades: os rostos do estigma e da exclusão social

Autores

  • Jaime Alonso Caravaca Morera University of Costa Rica
  • Maria Itayra Padilha Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806-5023.2016v13n1p120

Palavras-chave:

Transexualidade, Transexuais, Exclusão social, Estigma Social

Resumo

Esta reflexão tem por objetivo analisar as diferentes manifestações do estigma e da exclusão social entre a população transexual. As diferentes expressões da transexualidade na contemporaneidade têm sido influenciadas pelos diversos dispositivos de controle heterocisnormativo oriundos do patriarcalismo. Evidencia-se que a exclusão social e a estigmatização possuem diferentes faces e componentes, tais como: aspectos pessoais, cognitivos, emocionais, estruturais e comportamentais, que emergem como consequência direta da implantação da ideologia psiquiatrizante e patologizante da condição transexual e das outras manifestações da corporeidade e sexualidade relativas à concepção ontológica dos sujeitos. 

Biografia do Autor

Jaime Alonso Caravaca Morera, University of Costa Rica

Enfermeiro. Professor e Pesquisador na University of Costa Rica (UCR). Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal Santa Catarina-Brasil (PEN/UFSC). Mestre pelo PEN/UFSC. Especialista em Saúde Internacional pelo Centre of Addictions and Mental Health-Canadá (CICAD/CAMH). Membro do Grupo de Estudos de História do Conhecimento da Enfermagem e Saúde (GEHCES) e do Re:searching for LGBTQ Health (University of Toronto, CAMH-Canadá). San José, Costa Rica. E-mail: jaimealonso.caravaca@ucr.ac.cr

Maria Itayra Padilha, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Titular do Departamento de Enfermagem e do PEN/UFSC-Brasil. Doutora em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Líder do GEHCES. Pesquisadora do CNPq. Florianópolis-SC. E-mail: itayra.padilha@ufsc.br

Downloads

Publicado

2016-07-09

Edição

Seção

Artigos