A construção da memória positiva da ditadura no Espírito Santo (1964/1985): o papel do empresariado

Carolina Julia Pinto dos Santos, Vitor Angelo

Resumo


O presente artigo apresenta uma reflexão sobre o papel do empresariado na disseminação de uma memória positiva sobre o período da ditadura militar no Brasil. A pesquisa é de cunho qualitativo e foi realizada a partir da coleta de documentos primários e secundários. A análise verifica que no Espírito Santo o empresariado capixaba teve uma participação efetiva na ditadura militar, a partir da realização dos chamados grandes projetos e por meio deles buscou imprimir no imaginário social uma imagem positiva do governo militar.  


Palavras-chave


Memória; Ditadura; Empresariado

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANGELO, V. A.; FAGUNDES, P. E. Grandes projetos, grandes esquecimentos: o Espírito Santo entre a modernização conservadora e a repressão política. In: FAGUNDES, P. E; OLIVEIRA, U. J.; ANGELO, V. A. (Org.). O estado do Espírito Santo e a ditadura (1964-1985). 1ªed. Vitória: GM, p. 172-195, 2014.

ALMEIDA, J. R.; ROVAI, M. G. O. (Orgs.). Introdução à história pública. São Paulo, Letra e Voz, 2011.

BOECHAT, L. Entre a memória e o mercado: identidade, (re)significação e cultura empresarial. 1ª ed. Rio de Janeiro: Gramma, 2016.

CAMPOS, P. H. P. A Ditadura dos Empreiteiros: as empresas nacionais de construção pesada, suas formas associativas e o Estado ditatorial brasileiro, 1964-1985. 2012. 584f. Tese (Doutorado em História Social). Programa de Pós-graduação em História Social, Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Rio de Janeiro, 2012.

COUTO, R. C. História indiscreta da ditadura e da abertura: Brasil: 1964-1985. 2ª ed. Rio de Janeiro: Record, 1999.

FICO, C. Além do Golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2004.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO. Contando histórias: memórias, contos e “causos” de grandes personalidades que marcaram a história política, econômica, cultural e social do Estado do Espirito Santo e do Brasil. (Org). MORAES, B. A., Vitória: Findes. 2013.

GAGETE, É.; TOTINI, B. Memória empresarial, uma análise de sua evolução. In:

NASSAR, P. (Org.). Memória empresarial: história e comunicação de mãos dadas a construir o futuro das organizações. São Paulo: ABERJE, 2004.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Vértice. 2006.

HUYSSEN, A. Seduzidos pela Memória: arquitetura, monumento, mídia. Tradução de Sérgio Alcides. Seleção de Heloísa Buarque de Holanda. 2ªed. Rio de Janeiro: Aeroplano. 2006.

INDÚSTRIA CAPIXABA. Instalado o primeiro encontro regional de técnicos em serviço social., Vitória, dez. 1971, p. 1.

LE GOFF, J. Memória. In: LE GOFF. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1994. p. 423-483.

LEITÃO, M. Em nome dos Pais. Brasília: Editora Intrínseca, 2017.

LOBO, E. L. História empresarial. In: CARDOSO, C. F; VAINFAS, R. Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História. São Paulo: PUC, n. 10, p. 07-28, dez. 1993.

NORA, P. (dir.). Les lieux de mémoire – I: La République. Paris: Gallimard,1984.

OLIVEIRA, U. J. Configuração político-partidária do estado do Espírito Santo no contexto do regime militar: um estudo regional acerca das trajetórias de ARENA e MDB (1964-1982). 2013. 335 f. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

PEREIRA, W. P.; MARVILLA, M. Ditaduras não são eternas: memórias da resistência ao golpe de 1964. Vitória: Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo, 2005.

POLLAK, M. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3. 1992.

POLLAK, M. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro: CPDOC-FGV, vol. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.

PINTO, C. J. Partido dos Trabalhadores: 20 anos. A Institucionalização da Rebeldia. Trajetória no Espírito Santo. A Formação na Cidade de Viana. 2001. 152 f. Monografia (Graduação em História) – Departamento de História, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2001.

THOMPSON, P. A voz do passado: história oral. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

RIBEIRO, F. A. A história da federação das indústrias do estado do Espírito Santo. Vitória: FINDES, 2010.

RICOEUR, P. A memória, a história e o esquecimento. Tradução de Alain Francois. São Paulo: Editora da UNICAMP, 2008.

REIS, D. A. (Coord.). Modernização, ditadura e democracia (1964-2010). São Paulo: Objetiva. Fundação Mapfre. Oficina de Geografia. 2014.

REIS, D. A.; RIDENTI, M.; MOTTA, R. P. S. (Orgs.). A ditadura que mudou o Brasil: 50 anos do golpe de 1964. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

SANTOS, A. C. G. Depoimento de Arthur Carlos Gerhardt Santos concedido a Carolina Júlia Pinto dos Santos. Vitória, 2017. Em: abr. 2017.

SANTOS, F. J. Da campanha da legalidade ao golpe de estado de 1964: o estado do Espírito Santo durante o governo de João Goulart (1961-1964). 2013. 190 f. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais, Vitória, 2013.

SIQUEIRA, M. P. S. Industrialização e empobrecimento urbano: o caso da Grande Vitória. 1950-1980. 2ª ed. Vitória: Editora Grafitusa, 2010.

VILLA, M. A. Ditadura à brasileira (1964-1985): a democracia golpeada à esquerda e à direita. São Paulo: LeYa, 2014.




DOI: https://doi.org/10.5007/1806-5023.2019v16n2p67

Direitos autorais 2019 Em tese

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Em Tese, revista do PPGSP da UFSC, Brasil, ISSNe 1806-5023

Licença Creative Commons
Revista licenciado pela Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.