Weber, Schutz e a busca de "sentido" na ação social: uma análise comparativa

Eliane Fioravante Garcez

Resumo


O artigo discorre sobre as teorias de Max Weber e de Alfred Schutz e a aproximação desses mundos teóricos com a fenomenologia do filósofo Edmund Husserl. No texto são explorados os conceitos de sentido, compreensão, ação, ação social, relação social dentre outros. São apresentados também a tipologia da ação e os dois níveis de análise sociológica (microssocial e macrossocial) na concepção de Weber, para quem a ação é fruto da subjetividade. Já para Schutz, a ação é intersubjetiva, socializada e a compreensão está por detrás da ação, quer para o sentido que o ator dá a sua própria ação (subjetivo), quer para a ação de seu semelhante (intersubjetivo). Tendo em vista essas teorias, este trabalho apresenta os pontos divergentes e convergentes entre elas, mas acima de tudo, registra o quanto são complementares na busca de compreensão do sentido da ação social.  Além dos preceitos conceituais, o texto discute a construção e a aplicação do modelo “tipo ideal” (TI) amparados numa concepção schutziana. 


Palavras-chave


Ação social; sentido; Max Weber; Sociologia compreensiva; Alfred Schutz; Fenomenologia compreensiva; Mundo da vida; Tipo ideal

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1806-5023.2014v11n1p63

Direitos autorais 2014 Eliane Fioravante Garcez

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Em Tese, revista editada por discentes do PPGSP da UFSC, Brasil, ISSNe 1806-5023

Licença Creative Commons
Revista licenciado pela Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.