Max Weber como sociólogo da moral: possibilidades analíticas da sociologia compreensiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806-5023.2021.e73746

Palavras-chave:

Max Weber, Wolfgang Schluchter, Sociologia da Moral, Sociologia compreensiva

Resumo

Nos estudos contemporâneos da moral, não é comum vermos muita referência às contribuições de Max Weber, apesar do seu estatuto de fundador desse subcampo. Com o intuito de recuperar e atualizar essas possibilidades da sociologia weberiana, propõe-se a leitura de dois conceitos sob a ótica da moral: a liberdade em relação a valores (Wertfreiheit) e a ação racional com relação a valores. Para tanto, somou-se a exposição desses conceitos na obra original do autor com os esforços interpretativos reunidos em torno de Wolfgang Schluchter. Com isso, conclui-se positivamente em relação à contemporaneidade de ambos os conceitos. Por um lado, a discussão em torno da liberdade em relação a valores continua a dividir opiniões dentro do campo da sociologia da moral, sem um consenso definitivo. Por outro, a releitura do conceito da ação com relação a valores permite uma centralidade maior desses elementos ideais, que se mostram constitutivos não só da obra weberiana, mas da própria realidade social. Assim, a partir de conceitos nucleares da sociologia compreensiva, é possível expandir a contribuição weberiana para a sociologia da moral. 

Biografia do Autor

Carlos Augusto Silva Fabris, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Formado em ciências sociais - bacharelado, com período acadêmico na Ruprecht-Karls-Universität Heidelberg, Alemanha. Atualmente é mestrando no Programa de Pós-Graduação em Sociologia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde pesquisa na área de teoria sociológica clássica e de sociologia da moral.

Referências

ABEND, Gabriel. Two Main problems in the sociology of morality. Theory and Society, v. 37, n. 2, p. 87-125, abr. 2008.

AGEVALL, Ola; SWEDBERG, Richard (Orgs.). The Max Weber Dictionary: Key Words and Central Concepts. California: Stanford University Press, 2016.

ALBERT, Gert. Holismo metodológico moderado: uma interpretação weberiana do modelo macro-micro-macro. Política & Sociedade, Florianópolis v. 15, n. 34, p. 43-76, set./dez. 2016.

BALBI, Fernando. A moral como parte integral da produção da vida social: uma leitura heterodoxa dos escritos de Émile Durkheim. Sociologia e Antropologia, v. 6, n. 3, p. 755-778, dez. 2016.

BOLDA, Bruna. A elaboração da sociologia de Max Weber ficou mais compreensível?: análise comparativa do esquema conceitual de Sobre algumas categorias da Sociologia Compreensiva (1913) e Conceitos Sociológicos Fundamentais (1921). 2020. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Ciência Política, Universidade Federal de Santa Catarina, 2020.

BOUDON, Raymond. The cognitive approach to morality. In: HITLIN, Steven; VAISEY, Stephen (Orgs.). Handbook of the sociology of morality. New York: Springer, 2010. p. 15-33

CARVALHO, Márcio. O pensamento de Max Weber na literatura internacional: um estudo temático da produção de seus comentadores a partir do Portal de Periódicos BSCOhost. 2013. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Ciências Sociais) – Centro de filosofia e ciências humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.

FANTA, Daniel. A neutralidade valorativa: a posição de Max Weber no debate sobre juízos de valor. 2014. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

FASSIN, Didier (Org.). A companion to moral anthropology. Oxford: Wiley-Blackwell, 2012a.

FASSIN, Didier. Introduction: toward a critical moral anthropology. In: FASSIN, Didier (Org.). A companion to moral anthropology. Oxford: Wiley-Blackwell, 2012b. p. 1-17.

GREVE, Jens. Max Weber und die Emergenz: ein Programm eines nicht-reduktionistischen Individualismus? In: ALBERT, Gert et al (Orgs.). Aspekte des Weber-Paradigmas: Festschrift für Wolfgang Schluchter. Wiesbaden: Verlag für Sozialwissenschaften, 2006. p. 19-48.

JEFFRIES, Vincent (Org.). The Palgrave Handbook of Altruism, Morality, and social solidarity: formulating a field of study. New York: Palgrave Macmillan, 2014.

HITLIN, Steven. Os contornos e o entorno na nova sociologia da moral. Sociologias, v. 17, n. 39, p. 26-58, mai/ago 2015.

HITLIN, Steven; VAISEY, Stephen (Orgs.). Handbook of the sociology of morality. New York: Springer, 2010a.

HITLIN, Steven; VAISEY, Stephen. Back to the future: reviving the sociology of morality. In: HITLIN, Steven; VAISEY, Stephen (Orgs.). Handbook of the sociology of morality. New York: Springer, 2010b. p. 3-14.

LAIDLAW, James. For an Anthropology of Ethics and Freedom. The journal of the royal anthropological institute, v. 8, n 2, p. 311-332, jun. 2002.

LAMBEK, Michael. Introduction. In: LAMBEK, Michael (Org.). Ordinary Ethics: Anthropology, Language, and Action. New York: Fordham University Press, 2010. p. 1-36.

MÜLLER, Hans-Peter. Wert(e), Wertdiskussion, Wertkonflikt. In: MÜLLER, Hans-Peter; SIGMUND, Steffen (Orgs.). Max Weber – Handbuch: Leben, Werk, Wirkung. Springer Verlag: Stuttgart, 2014.

POWELL, Christopher. Four concepts of morality: differing epistemic strategies in the classical tradition. In: HITLIN, Steven; VAISEY, Stephen (Orgs.). Handbook of the sociology of morality. New York: Springer, 2010. p. 35-56.

SCHLUCHTER, Wolfgang. The rise of western rationalism: Max Weber's developmental history. Berkeley: University of California Press, 1985.

SCHLUCHTER, Wolfgang. Os conceitos sociológicos fundamentais: a fundamentação da sociologia compreensiva de Max Weber. In: SCHLUCHTER, Wolfgang. O desencantamento do mundo. Seis estudos sobre Max Weber. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2014. p. 193-221.

SCHLUCHTER, Wolfgang. Dualidade entre ação e estrutura: esboços de um programa de pesquisa weberiano. Política & Sociedade, Florianópolis, v. 15, n. 34, p.18-42, set-dez. 2016.

SCHLUCHTER, Wolfgang. Ação, ordem e cultura: fundamentos de um programa de pesquisa weberiano. Política & Sociedade, Florianópolis, v. 19, n. 45, mai.-ago., 2020.

SELL, Carlos. Max Weber e a racionalização da vida. Petrópolis: Vozes, 2013.

SELL, Carlos. Weber no Século XXI: desafios e dilemas de um paradigma weberiano. Dados, v. 57, n. 1, p. 35-71, mar. 2014.

SELL, Carlos. Max Weber e o átomo da sociologia: um individualista metodológico moderado? Civitas, v. 16, n. 2, p. 323-347, abr./jun. 2016

SELL, Carlos. Sociologia compreensiva e controvérsia sobre os valores. Escritos e Alocuções: 1908-1917. Tempo social, v. 30, n. 3, p. 321-334, dez. 2018 .

SICA, Alan. Max Weber: a comprehensive bibliography. New York: Routledge, 2004.

VANDENBERGHE, Frédéric. Metateoria, teoria social e teoria sociológica. Cadernos do Sociofilo, v. 3, p. 14-48, 2013.

VANDENBERGHE, Frédéric. A Sociologia como uma filosofia prática e moral (e vice-versa). Sociologias, v. 17, n. 39, p. 60-109, mai-ago 2015.

VILLAS BÔAS, Glaucia. A Atualidade de Max Weber: Entrevista com Wolfgang Schluchter. Sociologia & Antropologia, Rio de Janeiro, v. 1, n 1, p.11-20, 2011.

WEBER, Max. Die Wirtschaftsethik der Weltreligionen: Konfuzianismus und Taoismus. Schriften und Reden (1915–1920). Org.: Helwig Schmidt-Glintzer, com colaboração com Petra Kolonko. Tübingen: Mohr Siebeck, 1989.

WEBER, Max. Wissenschaft als Beruf (1917/1919) und Politik als Beruf (1919). Org.: Wolfgang J. Mommsen e Wolfgang Schluchter, com colaboração de Birgitt Morgenbrod. Tübingen: Mohr Siebeck, 1992.

WEBER, Max. Metodologia das ciências sociais. 4ª ed. São Paulo: Cortez, 2001. 2v.

WEBER, Max. Economia e Sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. São Paulo: editora UnB, 2004a. 2v.

WEBER, Max. A ética Protestante e o “espírito” do capitalismo. Porto Alegre: Companhia das Letras, 2004b.

WEISS, Raquel. Apresentação do dossiê: Sociologia e moral. Sociologias, v. 17, n. 39, p. 16-24, mai-ago, 2015.

WEISS, Raquel; ROSATI, Massimo. Tradição e autenticidade em um mundo pós-convencional: uma leitura durkheimiana. Sociologias, v. 17, n. 39, p. 110-162, mai-ago, 2015.

Downloads

Publicado

2021-02-10

Edição

Seção

Dossiê