Max Weber e a compreensão acadêmica do protestantismo brasileiro: um breve esboço

Autores

  • Thiago Rodrigo da Silva Doutorando em História na UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806-5023.2021.e74078

Palavras-chave:

Evangélicos, Protestantismo Brasileiro, Max Weber

Resumo

O presente artigo busca apresentar uma reflexão sobre a influência do pensamento weberiano na compreensão do denominado protestantismo histórico no Brasil. Weber esteve presente nas produções acadêmicas pioneiras sobre a temática que, foram elaboradas pelo sociólogo Cândido Procópio Ferreira de Camargo, pelo teólogo Rubem Azevedo Alves e pelo historiador Antônio Gouvêa Mendonça. Ao observar a produção desses autores, nota-se a validade das proposições do autor de A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo para a compreensão da presença dos evangélicos no país. Assim, entender os pressupostos analíticos weberianos, a relação entre o protestantismo e o sistema capitalista, como também a elaboração de tipos ideais, possibilita ao estudioso da temática uma melhor compreensão da presença evangélica na esfera religiosa nacional

Biografia do Autor

Thiago Rodrigo da Silva, Doutorando em História na UFSC

Doutorando em História na UFSC

Referências

AGNOLIN, Adone. Debate entre História e Religião em uma Breve História da História das Religiões: origens, endereço italiano e perspectivas de investigação. Projeto História (PUCSP), v. 37, ano 2008, p. 13-39.

ALVES, Rubem Azevedo. Protestantismo e Repressão. São Paulo: Ática, 1982.

ALVES, Rubem Azevedo. O Deus que eu Conheço. Campinas: 2010.

BASTIDE, Roger. Brasil, Terras de Contrastes. São Paulo: DIFEL, 1978.

BELOTTI, Karina Kosicki. História das Religiões: conceitos e debates na era contemporânea. História. Questões e Debates, v. 55, 2011, p. 13-42.

BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo: Contexto, 2013.

CAMARGO, Cândido Procópio (et.al). Católicos, Protestantes e Espíritas. Petrópolis: Vozes, 1973.

CÉSAR, Waldo Lenz. Protestantismo e Imperialismo na América Latina. Petrópolis: Vozes, 1968.

CHACON, Vamireh. Max Weber: A Crise da Ciência e da Política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1988.

DONATO, Xavier de. El carácter de los tipos ideales weberianos y su relación con las ciencias naturales. Diánoia, volumen LII, número 59 (noviembre 2007): pp. 151–177

DIEHL, Astor Antônio. Max Weber e a História. Passo Fundo, 1996.

DREHER, Martin Norberto. A Igreja Latino-Americano no Contexto Mundial. São Leopoldo: Sinodal, 2007.

DREHER, Martin Norberto. Luteranismo e Germanidade. São Leopoldo: Sinodal, 2007.

FERREIRA, Valdinei Aparecido. Protestantismo e Modernidade no Brasil (Tese de Doutorado). São Paulo, USP, 2008.

FILHO, José Jeremias de Oliveira. A Obra e a Mensagem: Representações Simbólicas e Organização Burocrática na Igreja Adventista do Sétimo Dia (Tese de Doutorado em Sociologia). São Paulo: USP, 1972.

FUENTE, María Yolanda Ruano de la. 2007. «La presencia de Max Weber en el pensamiento español. Historia de una doble recepción». Arbor. Ciencia, pensamiento y cultura 183 (726), 545-566.

FREUND, Julien. Sociologia de Max Weber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.

LEONARD. Émile G. O Protestantismo Brasileiro: Estudo de Eclesiologia e História Social. São Paulo: ASTE, 1963.

MAFRA, Clara. Os Evangélicos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; 2001.

MATA, Sérgio Ricardo da. O mito de 'A ética protestante e o espírito do capitalismo' como obra de sociologia. Locus (UFJF), v. 12, 2006, p. 113-126.

MATA, Sérgio Ricardo da. Weberianismo tropical: caminhos e fronteiras da recepção da obra de Max Weber no Brasil. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, v. 460, ano 2013, p. 77-108.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa. Gênese e Estrutura Atual dos Protestantismos Brasileiros Num Campo Religioso em Vias de Desordenação. Lusotople, Auditório, v. 1, n.1, 1998, p. 299-306.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa. O Celeste Porvir: A inserção do Protestantismo no Brasil. São Paulo: ASTE, 1995.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa. O Protestantismo no Brasil e Suas Encruzilhadas. REVISTA USP, São Paulo, n.67, setembro/novembro 2005, p.56.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa. República e Pluralidade Religiosa no Brasil. REVISTA USP, São Paulo, n.59(Setembro/Novembro 2003), p. 144-163.

NEGRÃO, Lísias Nogueira. Pluralismo e multiplicidades religiosas no Brasil. Sociedade e Estado, v. 23, 2008, p. 261-279.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Cadê nossa diversidade religiosa?. In: Faustino Teixeira; Renata Menezes. (Org.). As religiões no Brasil: Continuidades e rupturas. Petrópolis: Vozes, 2006, p. 49-53.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Eleição 2010: Desmoralização eleitoral do moralismo religioso. Novos Estudos CEBRAP, v. 89, 2011, p. 05-16.

SCHLUCHTER, Wolfgang. Paradoxos da Modernidade: Cultura e Conduta na Teoria de Max Weber. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

SELL, Carlos Eduardo. História ou Sociologia? Max Weber e o debate sobre A ética protestante e o Espírito do Capitalismo. Revista Brasileira de História das Religiões, v. III, 2011, p. 173-197.

SOUZA, Jessé Jose Freire de. Max Weber e a ideologia do atraso brasileiro. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 38, 1998.

SWEDBERG, Richard. How to use Max Weber’s ideal type in sociological analysis. In: Journal of Classical Sociology 2018, Vol. 18(3), p. 181–196.

TILLICH, Paul. Teologia Sistemática. São Leopoldo. Sinodal, 2005.

TROELTSCH, Ernst. Igrejas e Seitas. Rio de Janeiro: Revista Religião e Sociedade, Ano 1987, p.134-144.

WEBER, Maximilian Karl Emil. Economia e Sociedade. Brasília; São Paulo: EdUNB -Imprensa Oficial, 2004.

WEBER, Maximilian Karl Emil. Economia e Sociedade (vol.2). Brasília; São Paulo: EdUNB -Imprensa Oficial, 2004.

WEBER, Maximilian Karl Emil. Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: LTC, 1982.

WEBER, Maximilian Karl Emil. Ética Protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

WEBER, Maximilian Karl Emil. Metodologia das Ciências Sociais. São Paulo: Cortez, 2016.

Downloads

Publicado

2021-02-10

Edição

Seção

Dossiê