Intelectualismo em Max Weber: o processo de intelectualização como um caminho para compreensão do desenvolvimento histórico do conhecimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806-5023.2021.e75259

Palavras-chave:

Sociologia do Conhecimento, Max Weber, Sociologia da Religião, Intelectualismo, Pocesso de Intelectualização

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir o conceito de intelectualismo (e outras noções derivadas) no corpus textual de Max Weber relativo aos escritos de religião a fim de pavimentar um caminho para bases de uma teoria sociológica do conhecimento, partindo da hipótese de que o processo de intelectualização seria o único fenômeno que envolveria, como um todo, os problemas epistemológicos e suas possíveis soluções. Para fins analíticos, intelectualismo é um complexo sistemático de elementos que formam um conjunto, e por isso o artigo se dedica à definição dos mesmos. Pelo exame do intelectualismo, chegamos a três caminhos diferentes que endereçam parte do complexo de problemas relativos ao conhecimento: a.)  os problemas epistemológicos (de uma Erkenntnistheorie) mais centrais surgem quando tentamos definir o que é a magia, qual a sua relação com o mundo e qual a sua relação com o intelectualismo; b.) a forma da existência real do conhecimento e sua mudança estão na relação entre objetivação – interpretação e; c.) o conteúdo atual do conhecimento, sua mudança e a relação pragmática que este tem com as pessoas dependem do contexto semântico.

Biografia do Autor

Veridiana Domingos Cordeiro, Universidade de São Paulo

 Bacharel e licenciada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo; mestre em Sociologia pela Universidade de São Paulo e doutora em Sociologia pela Universidade de São Paulo.

 

Hugo Neri, Universidade de São Paulo

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo; mestre em Sociologia pela Universidade de São Paulo e doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo

 

Referências

DEININGER, J. A teoria econômica dos Estados Antigos. Tempo Social: dossiê Max Weber. Julho, 2012. pp. 61-84.

PIERUCCI, Antônio Flávio. O desencantamento do mundo: todos os passos do conceito em Max Weber. São Paulo: Editora 34, 2003.

NERI, Hugo. O Processo de Intelectualização: fundamentos para uma explicação sociológica do conhecimento. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral. São Paulo: Cia das Letras, 2009.

WEBER, Max. Economia e Sociedade v.I. Brasília: UNB, 2009.

WEBER, Max. Hinduismus und Buddhismus 1916–1920. In.: SCHIMIDT, Glintzer & GOLZIO, Karl-Heinz. Max Weber-Gesamtausgabe (MWG): I/20 Die Wirtschaftsethik der Weltreligionen. Tübingen: Mohr Siebeck, 1996.

WEBER, Max. Die Wirtschaft und die gesellschaftlichen Ordnungen und Mächte. Nachlaß. Religiöse Gemeinschaften. In.: KIPPENBERG, Hans; SCHILM, Petra Schilm & NIEMEIER, Jutta Niemeier. In.: Max Weber-Gesamtausgabe I/22-2 Wirtschaft und Gesellschaft. Tübingen: Mohr Siebeck, 2001.

WEBER, Max. Einleitung fur Konfuzianismus und Taoismus. Schriften 1915–1920. In.: SCHIMDT-GLINTZER, Helwig & KOLONKO, Petra. Max Weber-Gesamtausgabe (MWG): I/19 Die Wirtschaftsethik der Weltreligionen. Tübingen: Mohr Siebeck, 1989.

VERLAG. Historisches Wörterbuch der Philosophie v.4. Basel: Schwabe & CO Verlag, 1976.

Downloads

Publicado

2021-02-10

Edição

Seção

Dossiê