Perfil de medicamentos descartados pelos usuários do sistema único de saúde no município de Divinópolis-MG

Autores

  • André de Oliveira Baldoni Universidade Federal de São João del-Rei
  • Julia Domingues Gontijo Universidade Federal de São João del-Rei
  • Vinícius Kelvin Costa e Silva Universidade de Itaúna
  • Mayra Rodrigues Fernandes Universidade Federal de São João del-Rei
  • Camila Pereira Alvim Universidade Federal de São João del-Rei
  • Samira Moreira Ferreira Universidade Federal de São João del-Rei
  • Rosana Cristina de Mello Andrade Universidade Federal de São João del-Rei
  • Fernanda da Matta e Sousa Universidade Federal de São João del-Rei
  • Lorena Aparecida Rodrigues Universidade Federal de São João del-Rei
  • Marcelo Gonzaga de Freitas Araújo Universidade Federal de São João del-Rei
  • Cristina Sanches-Giraud Universidade Federal de São João del-Rei
  • Rodrigo dos Santos Diniz Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Mariana Linhares Pereira Universidade Federal de São João del-Rei
  • Roberta Carvalho de Figueiredo Universidade Federal de São João del-Rei

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2015v12n20p48

Palavras-chave:

Medicamentos, Educação em saúde

Resumo

 

O objetivo do estudo foi orientar profissionais e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) sobre o descarte e armazenamento de medicamentos, além de identificar o perfil de medicamentos descartados, em Divinópolis, Minas Gerais. As quatro etapas do estudo foram desenvolvidas de Março a Dezembro de 2014, a saber: 1) a escolha de doze Unidades de Saúde (Unidade Básica de Saúde ou Estratégia de Saúde da Família); 2)contato com a unidade de saúde para agendamento da palestra educativa; 3) realização da palestra e coleta dos medicamentos descartados; 4) Análise do perfil dos medicamentos coletados. Foram recolhidas 11.518 unidades de medicamentos, sendo 9.729 vencidos (84,5%). A forma farmacêutica mais encontrada foi o comprimido (95,2%). As classes farmacológicas mais coletadas foram os anti-hipertensivos (22,0%), hipoglicemiante oral (10,7%) e antiagregante plaquetário (10,6%). Observou-se elevada frequência de medicamentos vencidos, o que evidencia a necessidade de estratégias educativas para pacientes e equipe de saúde.

 

Biografia do Autor

André de Oliveira Baldoni, Universidade Federal de São João del-Rei

Professor de Farmácia Clínica

Julia Domingues Gontijo, Universidade Federal de São João del-Rei

Acadêmica de Farmácia

Vinícius Kelvin Costa e Silva, Universidade de Itaúna

Acadêmico de Farmácia

Mayra Rodrigues Fernandes, Universidade Federal de São João del-Rei

Acadêmica de Farmácia

Camila Pereira Alvim, Universidade Federal de São João del-Rei

Acadêmica de Farmácia

Samira Moreira Ferreira, Universidade Federal de São João del-Rei

Acadêmica de Farmácia

Rosana Cristina de Mello Andrade, Universidade Federal de São João del-Rei

Acadêmica de Farmácia

Fernanda da Matta e Sousa, Universidade Federal de São João del-Rei

Acadêmica de Farmácia

Lorena Aparecida Rodrigues, Universidade Federal de São João del-Rei

Acadêmica de Farmácia

Marcelo Gonzaga de Freitas Araújo, Universidade Federal de São João del-Rei

Professor de Farmacologia

Cristina Sanches-Giraud, Universidade Federal de São João del-Rei

Professora de Assistência Farmacêutica

Rodrigo dos Santos Diniz, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professor de Assistência Farmacêutica

Mariana Linhares Pereira, Universidade Federal de São João del-Rei

Professora de Cuidado Farmacêutico

Roberta Carvalho de Figueiredo, Universidade Federal de São João del-Rei

Professora de Farmacoepidemiologia

Downloads

Publicado

2015-12-11