Determinação do extrato seco de leite fermentado, leite UHT e creme de leite: avaliação de uma metodologia simplificada

Frederico Teixeira Corrêa, Patrícia Teixeira Corrêa, Luiz Ronaldo de Abreu

Resumo


O extrato seco do leite e de produtos lácteos é uma fração de extrema importância na qualidade e no indicativo nutricional desses alimentos. No caso do leite, o seu valor nutricional e a capacidade de gerar produtos como queijo, iogurte e manteiga são inerentes à fração seca.  Objetivou-se neste trabalho avaliar a cinética de secagem e comparar o desempenho das diferentes metodologias analíticas na determinação do extrato seco total em leite UHT integral, creme de leite e leite fermentado. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado (DIC), com três tratamentos e três repetições para cada um dos produtos. Cada análise foi feita em duplicata. As metodologias usadas para o leite UHT foram AOAC (1998), Pereira et al. (2001)  e placa de Petri sem areia purificada e sem pérola de vidro. A forma de secagem foi em estufa a 102 ± 2 oC. Na avaliação dos resultados, foi feita análise de variância (ANOVA) e o teste de Tukey para resultados significativos, ao nível de 5% de probabilidade e a construção de curvas de secagem. As diferenças entre as metodologias não foram significativas indicando que qualquer uma delas pode ser utilizada com segurança na determinação do extrato seco total dos produtos utilizados. O método da placa de Petri mostrou-se mais eficiente na velocidade de secagem, mais barato e simples de ser executado para pesquisadores que buscam alternativas em análises laboratorais.


Palavras-chave


Creme de Leite; Leite Fermentado; Leite UTH Integral; Extrato Seco Total; Metodologias Analíticas

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, C.A.; GOUVEIA, J.P.G.; ALMEIDA, F.A.C.; SILVA, F.L.H. Avaliação da cinética de secagem em frutos de acerola. Rev. de Biol. e Ciênc. da Terra. 2006. 6(1): 145-51.

ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS (AOAC). Official methods of analysis. 16.(4), Washington: 1998: 3-120.

BRASIL (2006). Instrução Normativa nº 68, de 12 de dezembro de 2006. Estabelece métodos analíticos físico-químicos oficiais para leite e produtos lácteos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil - Dezembro 2006, (1): 8.

CELESTINO, S.M.C. Princípios de Secagem de Alimentos. Embrapa Cerrados. Planaltina, DF, 2010. 29 p.

FERREIRA, D.F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), 2011 Nov; 35(6): 1039-42.

KOSHIMIZU, L. Conformação Viscoplástica por rolos a frio e Caracterização de substratos de alumina. Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia. Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materias. Universidade Federal de São Carlos – UFSC, São Carlos, SP, 2008.

MARTINS, E.A.S.; LAGE, E.Z.; GONEL ALD FILHO, C.P.H.; LOPES, J.G. Cinética de secagem de folhas de timbó (Serjania marginata Casar) Rev. Bra. de Eng. Agr. e Amb. Campina Grande, PB, UAEA/UFCG, 2015. 19(3): 238–44.

MARCANTE, N.C.; PRADO, R.M.; CAMACHO, M.A.; ROSSET, J.S.; ECCO, M.; SAVAN, P.A.L. Determinação da matéria seca e teores de macronutrientes em folhas de frutíferas usando diferentes métodos de secagem. Ciênc. Rural online, 2010 Nov; 40(11): 2398-401.

MILMAN, M.J. Equipamento para pré-processamento de grãos. Editora e Gráfica Universitária da Universidade Federal de Pelotas – UFPel, Pelotas, RS, 2002. 206 p.

PEREIRA,D.B.C.; SILVA, P.H.F.; COSTA JÚNIOR, L.C.G.; OLIVEIRA, L.L. Físicoquímica do leite e derivados: métodos analíticos. 2. ed. Juiz de Fora: EPAMIG, 2001. 234 p.

R Development Core Team. 2013. R: A language and environment for statistical computing, reference index version 2.13.0. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. www.R-project.org Acesso em 10 dez. 2015).

VENTUROSO, R.C.; ALMEIDA, K.E.; RODRIGUES, A.M.; DAMIN, M.R.; OLIVEIRA, M.N. Determinação da composição físico-química de produtos lácteos: estudo exploratório de comparação dos resultados obtidos por metodologia oficial e por ultrassom. Rev Bras Cienc Farm 2007 Out; 43(4): 607-13.

TADINI, C.C.; CURI, F.; CARDOSO, A.M. Leite: cálculo de sólidos totais em forno de micro-ondas. Influência da potência, tempo de exposição e localização da amostra. Disponível em http://sites.poli.usp.br/pqi/lea/docs/indlat1997.pdf. Acesso em 11 de jan. de 2016.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-0221.2016v13n24p83



Extensio: R. Eletr. de Extensão, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1807-0221.