Centro Multidisciplinar de Dor Orofacial (CEMDOR) da UFSC: Relato de Experiência

Autores

  • Fernanda Berretta Universidade Federal de Santa Catarina
  • Maynara Schlickmann de Freitas Universidade Federal de Santa Catarina
  • Morgane Marion Kuntze Universidade Federal de Santa Catarina
  • Wladmir Antônio de Souza Dal Bó Universidade Federal de Santa Catarina
  • Luiz Roberto Godolfim Universidade Federal de Santa Catarina
  • Fabiani Miron Stefani Universidade Federal de Santa Catarina
  • Graziela de Luca Canto Universidade Federal de Santa Catarina
  • Beatriz Dulcinéia Mendes de Souza Universidade Federal de Santa Catarina
  • André Porporatti Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2017v14n26p133

Palavras-chave:

Disfunção Temporomandibular, Distúrbios do Sono, Dor Orofacial, Atendimento Multidisciplinar

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar as atividades realizadas no Centro Multidisciplinar de Dor Orofacial (CEMDOR) da UFSC Florianópolis. O CEMDOR realiza diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes com Disfunção Temporomandibular, Distúrbio do Sono e Dor Orofacial (DTM/DS/DOF) visando a recuperação da função, o alívio da dor e a melhora da qualidade de vida destes pacientes. Por meio da integração de diversas áreas da saúde, o centro busca o tratamento efetivo do paciente, colaborando com o seu bem-estar. Os pacientes são avaliados na clínica e posteriormente os casos clínicos são discutidos em sala de aula com a presença de professores do curso de Odontologia e Fonoaudiologia. Esta dinâmica permite a elaboração de planos de tratamentos mais completos e individualizados, fomentando os questionamentos e aumentando o nível de conhecimento dos estudantes. Os serviços oferecidos pelo CEMDOR são muito importantes para a comunidade devido à alta incidência de DTM/DS/DOF na população, a qual afeta sobremaneira a qualidade de vida dos indivíduos.  

 

Biografia do Autor

Fernanda Berretta, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

Maynara Schlickmann de Freitas, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

Morgane Marion Kuntze, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

Wladmir Antônio de Souza Dal Bó, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor, Universidade Federal de Santa Catarina.

Luiz Roberto Godolfim, Universidade Federal de Santa Catarina

Cirurgião-Dentista.

Fabiani Miron Stefani, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora, Departamento de Fonoaudiologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

Graziela de Luca Canto, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

Beatriz Dulcinéia Mendes de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

André Porporatti, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

- FERNANDES, A.U.R. et al. Desordem temporomandibular e ansiedade em graduandos de odontologia. Cienc. Odontol. Bras, 2007; 10 (1): 70-77.

- LEEUW, R. Dor orofacial: guia de avaliação, diagnóstico e tratamento. 4ª ed. São Paulo: Quintessence; 2010.

- SUVINEN T.I, Reade P.C., Hanes K.R., Könönen M., Kemppainen P. Temporomandibular disorder subtypes according to self-reported physical and psychosocial variables in female patients: a re-evaluation. J Oral Rehabil, 2005; 32:166–173.

- OKESON, J.P. Fundamentos de oclusão e desordens temporomandibulares. 2.ed. São Paulo, Artes Médicas, 1992. 449p. Dores bucofaciais de Bell. 5.ed. São Paulo, Quintessence, 1998. 500p.

- LOBBEZOO, F.; AHLBERG J.; GLAROS, A. G.; KATO, T.; KOYANO K.; LAVIGNE G. J. et al. Bruxism defined and graded: an international consensus. J Oral Rehabil., v. 40, n. 1, p. 2–4, 2013.

- LAVIGNE, G. J.; ROMpré, P. H.; Montplaisir, J. Y. Sleep bruxism: validity of clinical research diagnostic criteria in a controlled polysomnographic study. J Dent Res., v. 75, n. 1, p. 546–52, 1996.

- GALLO, L. M.; LAVIGNE, G; ROMPRÉ, P; PALLA, S. Reliability of scoring EMG orofacial events: polysomnography compared with ambulatory recordings. J Sleep Res., v. 6, n. 4, p. 259–63, 1997.

- CARRA, M. C.; HUYNH, N.; LAVIGNE, G. J. Diagnostic accuracy of sleep bruxism scoring in absence of audio-video recording: a pilot study. Sleep Breath., May, v. 3, 2014.

- GODOLFIM, L. G. Distúrbios do Sono e a Odontologia- tratamento do ronco e Apnéia do Sono. São Paulo: Editora Santos. 2010.

- QUINTO, C.A. Classificação e tratamento das disfunções temporomandibulares: qual o papel do fonoaudiólogo no tratamento dessas disfunções. Rev Cefac, v. 2, n. 2, p. 15-22, 2000.

- LAMONT, J. et al. Effect of two types of mandibular advancement aplints on snoring and obstructive sleep apnea. Eur J Orthod, v. 20, n. 3, p. 293-297, 1998.

- VEIS, R. W. Snoring and sleep apnea from dental perspective. J. Calif. Dent. Assoc., San Francisco, v. 8, p. 557-565, 1998.

- HADDAD, F.; BITTENCOURT, L. Recomendações para o Diagnóstico eTratamento da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono no Adulto - São Paulo: Estação Brasil, 2013

- CARRARA, S.V; CONTI, P.C.R; BARBOSA, J.S. Termo do 1º Consenso em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial. Dental Press J Orthod. 2010;15(3):114-20.

Downloads

Publicado

2017-11-09