Núcleo de atenção farmacêutica: vivências e práticas junto à comunidade

Daniela Aparecida Martins Trindade, Allen Cristina Ribeiro, Jefferson Merêncio dos Reis, Thais Morais Assis, Tiago Marques dos Reis, Ricardo Radighieri Rascado, Luciene Alves Moreira Marques

Resumo


Este artigo apresenta as atividades desenvolvidas e os resultados obtidos pelo Núcleo de Atenção Farmacêutica da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) nos anos de 2016 a 2017. O Núcleo de Atenção Farmacêutica da UNIFAL é um componente extracurricular para o curso de Farmácia, indispensável à consolidação dos conhecimentos adquiridos durante o curso. Com o farmacêutico atuando nas diversas vertentes da Atenção Farmacêutica, este projeto visa abranger pesquisa, ensino e extensão nesta área, incentivar o trabalho em equipe, promover atividades de ensino curricular e extracurricular, bem como orientar os pacientes quanto ao uso racional dos medicamentos a fim de promover a saúde. O projeto realiza reuniões semanais com discussões de casos clínicos, campanhas educativas para a população e comunidade acadêmica com aferição de parâmetros bioquímicos e fisiológicos, palestras educativas, seminários, eventos científicos como o Simpósio Internacional de Atenção Farmacêutica, Estudos Dirigidos em Atenção Farmacêutica (EDAF), acompanhamento farmacoterapêutico de pacientes portadores de doenças crônicas. 


Palavras-chave


Serviços Farmacêuticos; Educação em Saúde; Promoção da Saúde; Estudantes de Farmácia

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Cuidado Farmacêutico na Atenção Básica. Caderno 1: Serviços farmacêuticos na Atenção Básica à Saúde. Brasília, 2015.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, & Conselho Nacional de Saúde. (2017). Resolução nº 546 CNE/CES, de 7 de abril de 2017. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Farmácia. Diário Oficial da União.

CFF. Conselho Federal de Farmácia. – Brasília: Serviços farmacêuticos diretamente destinados ao paciente, à família e à comunidade: contextualização e arcabouço conceitual - Conselho Federal de Farmácia, 2016 c.

CFF. Conselho Federal de Farmácia. PROFAR. Programa de Suporte ao Cuidado Farmacêutico na Atenção à Saúde. Brasília: Conselho Federal de Farmácia, 2016 b.

CFF. Conselho Federal de Farmácia. Resolução 585 de 23 de agosto de 2013. Regulamenta as atribuições clínicas do farmacêutico e dá outras providências. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/585.pdf. Acesso em: 20set. 2016.

CFF. Conselho Federal de Farmácia. Resolução 586 de 29 de agosto de 2013. Regula a prescrição farmacêutica e dá outras providências. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/586.pdf. Acesso em: 20 set. 2017.

CFF. Conselho Federal de Farmácia. Resolução nº 572 DE 25 DE ABRIL DE 2013 Dispõe sobre a regulamentação das especialidades farmacêuticas, por linhas de atuação. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/572.pdf. Acesso em: 22 jul. 2018.

COSTA, E.M.; ROCHA, A.; RABELO, D.M.; LIMA, J.G. Avaliação do papel do farmacêutico nas ações de promoção da saúde e prevenção de agravos na atenção primária. Revista Ciências Farmacêuticas Básica Aplicada, v. 35, n. 1, p. 81-8, 2014.

CRFSP. Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Campanhas de educação em saúde. Disponível em: http://portal.crfsp.org.br/index.php/campanhas. html . Acesso: 30 de jul. 2017.

CRFSP. Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Organização Pan-Americana da Saúde Fascículo III - Serviços Farmacêuticos / Projeto Farmácia Estabelecimento de Saúde / CRF-SP: Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo; Organização Pan-Americana de Saúde - Brasília, 2010.

GASTELURRUTIA MA, FERNÁNDEZ-LLIMÓS F, GARCÍA DELGADO P, GASTELURRUTIA P, FAUS MJ, BENRIMOJ SI. Barriers and facilitators to the dissemination and implementation of cognitive services in Spanish community pharmacies. Seguimiento Farmacoterapeutico. 2005;3(2):65–77.

GAZZINELLI, M. F; REIS, D. C.; MARQUES, R. C. Educação em saúde: teoria, método e imaginação. Belo Horizonte: Ed UFMG, 2006. 166.

IVAMA, A.M. NOBLAT, L.; CASTRO, M.S.; OLIVEIRA, N.V.B.V.; JARAMILLO, N.M.; RECH, N. Consenso brasileiro de atenção farmacêutica. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2002. 24 p.

LIMA, S.G.; GUIMARÃES, K.M.; GERHARDT, P.C.; CASSIANO, A.C.; VERMELHO, S.C.; BORTOLOZZI, F. A Utilização de Redes Sociais Digitais na Área da Saúde: Uma Revisão Sistemática. Saúde e Pesquisa, v. 30, n.8, p. 93-101, 2015.

MEROLA, Y.D.L; EL-KHATIBS.; GRANJEIRO, P.A. Atenção Farmacêutica como Instrumento de Ensino. Infarma, v.17, nº.7/9, 2005.

OLIVEIRA, A.B. et al. Obstáculos da atenção farmacêutica no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. v. 41, n. 4, out./dez., 2005.

PEREIRA, L.R.L; FREITAS, O. A evolução da Atenção Farmacêutica e a perspectiva para o Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. v. 44, n. 4, out./dez., 2008.

PEREIRA, M.L.; NASCIMENTO, M.M.G. Das boticas aos cuidados farmacêuticos: perspectivas do profissional farmacêutico. Rev. Bras. Farm. 92(4): 245-252, 2011.

PINHEIRO, R. M. Serviços farmacêuticos na Atenção Primária à Saúde. Tempus Actas de Saúde Coletiva, Brasília, DF, v. 4, n. 3, p. 15-22, 2010.

VERMELHO, Sônia Cristina et al. Refletindo sobre as redes sociais. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 126, mar. 2014.

VIEIRA, S.V. Possibilidades de contribuição do farmacêutico para a promoção da saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, n. 1, p. 213-220, 2007.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-0221.2019v16n33p133



Extensio: R. Eletr. de Extensão, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1807-0221.