Proposta para aumentar a adesão ao tratamento medicamentoso em uma unidade de saúde no Brasil

Ariane Garrocho de Faria, Cristina Sanches Giraud, Ana Julia Pereira Santinho Gomes

Resumo


O objetivo deste trabalho foi verificar problemas e propor atividades estratégicas que aumentem a adesão dos usuários ao tratamento medicamentoso em uma UBS de Minas Gerais. O estudo foi desenvolvido de Maio a Outubro de 2015 usando o Planejamento Estratégico Situacional dividido em quatro etapas denominadas momentos: explicativo, normativo, estratégico e tático-situacional. Ações resultantes foram definidas com o intuito de aumentar a adesão dos usuários ao tratamento medicamentoso e reduzir o gasto desnecessário. Desta forma, compreendeu-se a importância do método capaz de atender as opiniões dos participantes e direcionar as discussões para alcançar as metas propostas. Por fim, verificou-se a sensibilização dos participantes e a responsabilização compartilhada sobre a orientação ao usuário bem como na geração de documentos que oficializaram este planejamento. Espera-se, após a implantação das ações propostas, alcançar sucesso em relação à adesão de usuários aos tratamentos.


Palavras-chave


Planejamento Estratégico; Adesão ao Tratamento Medicamentoso; Assistência Farmacêutica

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, A.L.A. et al. Perfil da assistência farmacêutica na atenção primária do Sistema Único de Saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v.13(Suppl.), p.611-617, 2008.

BARRETO, J.L.; GUIMARAES, M.C.L. Avaliação da gestão descentralizada da assistência farmacêutica básica em municípios baianos, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v.26, n.6, p.1207-1220, 2010.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Assistência Farmacêutica no SUS. Coleção para Entender a Gestão do SUS, v.7. Brasília: CONASS, 2011.

BRASIL. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 2015 [online].

Brasil em síntese. População. Esperanças de vida ao nascer. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde. Brasília, 2013.

CAMPOS, F.C.C.; FARIA, H.P.; SANTOS, M.A. Planejamento e avaliação das ações em saúde. 2.ed. Belo Horizonte: Nescon/UFMG, Coopmed, 2010.

CARVALHO, A.L.M. et al. Adesão ao tratamento medicamentoso em usuários cadastrados no Programa Hiperdia no município de Teresina (PI). Ciência e Saúde Coletiva, v.17, n.7, p.1885-1892, 2012.

GOMES-VILLAS BOAS, L.C. et al. Relação entre apoio social, adesão aos tratamentos e controle metabólico de pessoas com diabetes mellitus. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.20, n.1, p.52-58, 2012.

KLEBA, M.E.; KRAUSER, I.M.; VENDRUSCOLO, C. O planejamento estratégico situacional no ensino da gestão em saúde da família. Texto & Contexto - Enfermagem, v.20 n.1, p.184-193, 2011.

MACHADO, C.A. Adesão ao tratamento – Tema cada vez mais atual. Revista Brasileira de Hipertensão, v.15, n.4, p.220-221, 2008.

MENDES, E.V. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. A construção social da atenção primária à saúde. Brasília: CONASS, 2015. 193p.

MINAYO, M.C.S. Saúde-doença: uma concepção popular da etiologia. Cadernos de Saúde Pública, v.4, n.4, p.363-381, 1988.

NUNES, T.S.; KREPSKY, P.B.; NUNES, L.M.N. Análise de elaboração do plano operativo da assistência farmacêutica acerca da falta de controle de medicamentos a vencer no município de Canavieiras-BA. Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, v.10, n.1, p.41-48, 2012.

OBEID, W.N.; VIEIRA, L.A.; FRANGIEH, A.Y. Segunda opinião em oftalmologia. Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, v.68, n.3, p.311-316, 2005.

RESMONDI, F.A.; CABRERA, M.A.S.; SOUZA, R.K.T. Não adesão ao tratamento medicamentoso contínuo: prevalência e determinantes em adultos de 40 anos e mais. Cadernos de Saúde Pública, v.30, n.1, p.126-136, 2014.

SANTANA, R.S. et al. A institucionalização da seleção de medicamentos em hospitais públicos por meio do planejamento estratégico situacional. Revista de Administração Pública, v.48, n.6, p.1587-1603, 2014.

SOUZA, S. et al. Polimedicação em doentes idosos: adesão à terapêutica. Revista Portuguesa de Clinica Geral, v.27, n.2, p.176-182, 2011.

TAMADA, R.C.P.; BARRETO, M.F.S.; CUNHA, I.C.K.O. Modelos de Gestão em Saúde: Novas tendências, responsabilidades e desafios. CONVIBRA, 2013. Disponível em: . Acesso em: Acesso em: 15 jun. 2015.

VIEIRA, F.S. Avanços e desafios do planejamento no Sistema Único de Saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v.14(Suppl. 1), p.1565-1577, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-0221.2016v13n24p174



Extensio: R. Eletr. de Extensão, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1807-0221.