Universidade da terceira idade, compromisso social e compromisso institucional

Flora Moritz da Silva, Irineu Manoel de Souza, Rudimar Antunes da Rocha

Resumo


Este artigo visa trazer reflexões sobre o compromisso social dos programas de educação permanente voltados aos idosos nas universidades frente ao compromisso institucional destas para com seus programas. Por meio de pesquisa bibliográfica e documental, regatou-se conceitos de responsabilidade e compromisso social e identificou-se o idoso na universidade dentro da legislação federal. Realizou-se um levantamento dos programas de educação permanente com pelo menos 20 anos em 2016, voltados aos idosos, nas 63 universidades públicas federais brasileiras, encontrando-se 17 casos. Destes, 9 Pró-Reitores de Extensão e um Diretor de Unidade aceitaram participar de entrevistas por Skype ou telefone no segundo semestre de 2016, concretizando o objetivo de descrever a visão de autoridades universitárias sobre o tipo de apoio institucional para o funcionamento dos programas. Apesar de perceber a relevância dos mesmos para o entorno e para a própria universidade, o compromisso institucional ainda está aquém do necessário. 


Palavras-chave


Terceira Idade; Compromisso Social; Extensão

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, Maria do Socorro Silva; CARVALHO, Cecília Maria Resende Gonçalves de. O envelhecimento pela ótica conceitual, sociodemografica e político-educacional: ênfase na experiência piauiense. Interface: Comunicação Saúde Educação v. 13 n.29, p. 435-444, abr./jun. 2009.

AREOSA, Silvia Virginia Coutinho. Caminhos Metodológicos: estudo das IES do RS. In: AREOSA, Silvia Virginia Coutinho (Org.). Envelhecimento e Universidade: um estudo do fórum gaúcho das IES do Rio Grande do Sul. São Leopoldo: Casa Leiria, 2015. p. 21-30.

BANCO MUNDIAL. Envelhecendo em um Brasil mais velho. 2011. 64 p. Disponível em: . Acesso em: 09 out. 2017.

BENEDETTI, Tânia Rosane Bertoldo; GONÇALVES, Lúcia Hisako Takase Gonçalves; MOTA, Jorge Augusto Pinto da Silva. Uma proposta de política pública de atividade física para idosos. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 6, n.3, 2007, p. 387-398.

BOUDINY, Kim. ‘Active ageing’: from empty rhetoric to effective policy tool. Ageing & Society, Cambridge, v. 6, n. 33, p.1077-1098, ago. 2013.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Constituição (1988). Disponível em Acesso em: 07 out. 2017.

_______. Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2017.

_______. Decreto nº 1.948, de 3 de julho de 1996. Regulamenta a Lei n° 8.842, de 4 de janeiro de 1994, que dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2017.

_______. Lei nº 10741, de 1 de outubro de 2003. Dispõe Sobre O Estatuto do Idoso e Dá Outras Providências. Disponível em . Acesso em: 12 Out. 2017.

CACHIONI, Meire. Quem Educa os Idosos?: Um estudo sobre professores de universidades da terceira idade. Campinas (SP): Alínea, 2003.

CACHIONI, Meire. Universidade da Terceira Idade: história e pesquisa. Revista Temática Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 15, n. 7, p. 01-08, dez. 2012.

CAMARANO, Ana Amélia. O novo paradigma demográfico. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 12, p. 3446, Dez., 2013.

CASTANHO, Daniel Faccini. A Gestão da Responsabilidade em Instituições de Ensino. In: COLOMBO, Sonia Simões; CARDIM, Paulo A. Gomes (Org.). Nos Bastidores da Educação Brasileira: A Gestão Vista por Dentro. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 232-251.

COUTINHO, Renato Xavier; RODRIGUES, Juliana Maria; ACOSTA, Marco Aurelio de Figueiredo. Educação e envelhecimento: realidades da educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, Passo Fundo, v. 11, n. 1, p.33-45, 19 nov. 2014. UPF Editora. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2017.

DAL RIO, Maria Cristina. Construção de Novas Formas de Sociabilidade no Processo de Envelhecimento e na Velhice. In: DAL RIO, Maria Cristina; MIRANDA, Danilo Santos de. Perspectiva Social do Envelhecimento. São Paulo: Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social: Fundação Padre Anchieta, 2009. p. 11-27.

DEBERT, Guita Grin. A invenção da Terceira Idade e a rearticulação de formas de consumo e demandas políticas. ANPOCS, 1996. GT Cultura e Política da ANPOCS. Disponível em: . Acesso em: 10 Out. 2017.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

FORUM NCTI. XV Fórum Nacional de Coordenadores de Projetos da 3ª Idade de Instituições e XIV Encontro Nacional dos Estudantes da 3ª Idade de Instituições de Ensino Superior. 2017. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2017.

FRUTUOSO, Dina. A Terceira Idade na Universidade. Rio de Janeiro: Ágora da Ilha, 1999.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KLIKSBERG, Bernardo. El rol de la responsabilidad social empresarial en la crisis. In: SEN, Amartya; KLIKSBERG, Bernardo. Primero La Gente: Una mirada desde la ética del desarrollo a los principales problemas del mundo globalizado. 5. ed. Buenos Aires: Temas Grupo Editorial SRL, 2009. Cap. 12, p. 307-324.

MARTÍN GARCÍA, Antonio Víctor; REQUEJO OSORIO, Agustín. Fundamentos y propuestas de la Educación no formal con personas mayores. Revista de Educación, Madrid, n. 338, p.45-66, sep.- dec. 2005. Cuatrimestral.

MATTAR, Fauze Najib. Pesquisa de Marketing: metodologia e planejamento. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2005. v. 1.

MEC. Ministério da Educação. Sistema e-MEC. Consulta Avançada. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2015.

MORETTO NETO, Luís. Ética e Responsabilidade Social. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/ UFSC, 2010. 122 p.

OLIVEIRA, Maurício Roque Serva de. Responsabilidade Social Corporativa e Terceiro Setor. Florianópolis: UFSC, 2008. 108 p.

OLIVEIRA, Rita de Cássia da Silva; SCORTEGAGNA, Paola Andressa. Apresentação. Set., 2014. In: OLIVEIRA, Rita de Cássia da Silva; SCORTEGAGNA, Paola Andressa (Org.). Universidade Aberta para a Terceira Idade: o idoso como protagonista na extensão universitária. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2015. p. 13-18.

OLIVEIRA, Rita de Cássia da Silva; SCORTEGAGNA, Paola Andressa; OLIVEIRA, Flávia da Silva. Universidades Abertas à Terceira Idade: um caminho possível para a educação do idoso. In: OLIVEIRA, Rita de Cássia da Silva; SCORTEGAGNA, Paola Andressa; CURY, Mauro José Ferreira (Org.). A velhice e o envelhecimento no contexto ibero-americano. Cascavel (Pr): Edunioeste, 2016. p. 13-32.

RIBEIRO, Renato Janine. Debate Universidade e Compromisso Social. In: RISTOFF, Dilvo; SEVEGNANI, Palmira. Universidade e Compromisso Social: Brasília, 25 e 26 de agosto de 2005. Brasília: INEP, 2006. p. 103-244. (V.4).

SCHIER, Jordelina; SILVA, Flora Moritz da. Fortalezas e desafios de um programa universitário de educação permanente para o envelhecimento. In: VI Congresso Latin American Research Network on Ageing (LARNA) e II Congresso Internacional da ABRUNATI, 2016, Ponta Grossa.

SILVA, Flora Moritz da. Universidade e Compromisso Social: a prática da Universidade Federal de Santa Catarina no Núcleo de Estudos da Terceira Idade. 2013. 183f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Administração. UFSC, Florianópolis, 2013.

SILVA, Noêmia Silva. Educação na Terceira Idade: inclusão social e inovação pedagógica na Universidade Federal de Sergipe. Aracajú: Editora Diário Oficial do Estado de Sergipe – Edise, 2016.

SIMÕES, Celso Cardoso Silva. Breve histórico do processo demográfico. In: FIGUEIREDO, Adma Hamam de (Org.). Brasil: uma visão geográfica e ambiental no início do século XXI. Rio de Janeiro: IBGE, Coordenação de Geografia, 2016. p. 40-74. Disponível em: . Acesso em: 09 out. 2017.

SIMONEAU, Adriana; OLIVEIRA, Denize Cristina de. Programa universitário para pessoas idosas: a estrutura da representação social. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro. v. 63, n. 1, p. 11-21, 2011.

VERAS, Renato Peixoto; CALDAS, Célia Pereira. Promovendo a saúde e a cidadania do idoso: o movimento das universidades da terceira idade. Ciência saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 423-432, jun. 2004.

WANDERLEY, Luiz Eduardo W. Universidades e sociedades: consensos e dissensos. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, v.26, n.81, p. 156-177, mar. 2005.

WEBBER, Francieli; CELICH, Kátia Lilian Sedrez. As Contribuições da Universidade Aberta para a Terceira Idade no Envelhecimento Saudável. Estudos Interdisciplinares Sobre O Envelhecimento, Porto Alegre, v. 12, p.127-142, 2007. Disponível em: . Acesso em: 05 Out. 2017.

ZABALZA BERAZA, Miguel Ángel. Prefacio: Programas para mayores y calidad de vida. Jul. 2014. In: OLIVEIRA, Rita de Cássia da Silva; SCORTEGAGNA, Paola Andressa (Org.). Universidade Aberta para a Terceira Idade: o idoso como protagonista na extensão universitária. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2015. p. 5-10.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-0221.2017v14n27p4



Extensio: R. Eletr. de Extensão, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1807-0221.