Trabalhando o luto em grupos de apoio para cuidadores de pacientes com Alzheimer: um relato de experiência extensionista

Autores

  • Andreza Rafaely dos Anjos Universidade Federal de Pernambuco
  • Márcia Carrera Campos Leal Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2020v17n37p99

Palavras-chave:

Alzheimer, Cuidador, Luto, Morte.

Resumo

Objetivo: refletir sobre questões que envolvem a finitude humana e as diversas perdas no decorrer da existência, proporcionando o fortalecimento do grupo, sobre o tema.Método: relato de experiência, realizado por meio de uma oficina com o tema Processos do cuidado e fases do luto.Foi realizado em maio de 2019, com duração de 2 horas. Este trabalho deu ênfase aos cinco estágios do luto nomeados por Elisabeth Kubler-Ross.Resultado: Participaram15cuidadores familiares de pacientes com Alzheimer, 03 discentes, 01 docente e 01 técnico. A oficina foi realizada, através do debate, sobre questões que envolvem a morte e o morrer enfrentadas ao longo da vida, tornando os participantes mais conscientes do processo. Conclusão: embora todo sujeito tenha consciência de sua finitude, o medo da morte é algo que está muito presente nos discursos humanos, sobretudo para quem dedica anos às responsabilidades que envolvem tratamento e zelo com o outro.

Biografia do Autor

Andreza Rafaely dos Anjos, Universidade Federal de Pernambuco

Graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Pós graduanda em Intervenções Clínicas Psicanalíticas pela Faculdade Frassinetti do Recife. 

Márcia Carrera Campos Leal, Universidade Federal de Pernambuco

Professora Titular da Área Acadêmica de Medicina Social da Universidade Federal de Pernambuco. Pós Doutorado pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra/Portugal (2013). Doutorado em Odontologia Preventiva e Social pela Universidade Federal de Pernambuco (2001). Gerontóloga titulada pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 

Referências

FERNANDES, J.S.G; ANDRADE, M.S. Revisão sobre a doença de Alzheimer: diagnóstico, evolução e cuidados.Psic., Saúde & Doenças, vol.18 no.1. Lisboa, 2017. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000100011 acesso em: 21.set.2020.

GONZAGA, L.Z.M. Mortes anunciadas: implicações para o luto dos cuidadores familiares. UFU- MG, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/17159/1/d.pdf. Acesso em 21.set.2020.

KÜBLER-ROSS, E. Sobre a morte e o morrer. 8. ed. São Paulo: Editora: Martins Fontes, 2002.

LOPES, L.O; & CHACHIONI, M. Cuidadores familiares de idosos com doença de Alzheimer em uma invençãopsicoeducacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 16. 443-460, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S180998232013000300004&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em 22.set.2020.

PEREIRA, I.C.O. Avaliação do processo de luto na perspectiva do cuidador enlutado.UL, 2014. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/23495/1/10975.pdf. Acesso em 21.set.2020.

RIBEIRO, J.P. O conceito de resistência da psicoterapia grupo-analítica: Repensando um caminho. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 2007, Vol. 23 n. especial. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v23nspe/12.pdf. Acesso em 03.set.2019.

SANTOS, M.D; BORGES, S.M. Percepção da funcionalidade nas fases leve e moderada da doença de Alzheimer: visão do paciente e seu cuidador. USC. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2015; 18(2):339-349. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v18n2/1809-9823-rbgg-18-02-00339.pdf. Acesso em 04.set.2019.

ZIMERMAN, D. E. Fundamentos psicanalíticos: teoria, técnica e clínica – uma abordagem didática. São Paulo. Artmed editora S.A. 2007.

Downloads

Publicado

2020-12-17