Projeto Vincular: atividades educativas com gestantes no contexto de uma maternidade do interior paulista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e77509

Palavras-chave:

Educação em Saúde, Relações Comunidade-instituição, Saúde da Mulher, Serviços de Saúde Materna

Resumo

Trata-se de um relato de experiência de uma atividade de extensão desenvolvida em uma cidade do interior de São Paulo, que teve como objetivo central a aproximação de gestantes à maternidade de referência por meio de estratégias de educação em saúde. A atividade foi realizada através de parceria entre o curso de enfermagem de uma universidade federal e a maternidade. As ações foram fundamentadas na garantia do acesso e do direito a informações de qualidade durante a gestação. No ano de 2019 foram realizados 40 encontros. As estratégias de educação em saúde durante a gestação possibilitaram a aproximação com a maternidade de referência e o contato com temáticas para a preparação para o parto. Projetos como esse são capazes de fortalecer a autonomia das mulheres e possibilitam o compartilhamento de conhecimento contribuindo para o fortalecimento de uma atenção obstétrica digna e respeitosa.

Biografia do Autor

Lina Domenica Mapelli, Universidade Federal de São Carlos

Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de São Carlos.  Tem experiência como estudante no desenvolvimento de Iniciação científica e Extensão Universitária na área materno-infantil.

Giovanna Brunna da Silva Justino, Universidade Federal de São Carlos

Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de São Carlos. Tem experiência como bolsista de iniciação científica e projetos de extensão na área da saúde das mulheres e nas temáticas: anticoncepção, período pós-parto, gênero e saúde.

Mariana De Gea Gervasio, Universidade de São Paulo

Obstetriz formada pelo curso de Obstetrícia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP). Mestra em Ciências pelo Programa de Pós Graduação em Mudança Social e Participação Política pela EACH/USP. Doutoranda em Saúde Pública pelo Programa de Pós-graduação em Saúde Pública pela FSP/USP.

Jamile de Claro Castro Bussadori, Universidade Federal de São Carlos

Doutora em Ciência pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP/USP (2009); Mestre em Enfermagem em Saúde Pública pela EERP/USP (2003). Especialista em Obstetrícia pela Faculdade de Enfermagem do Hospital Israelita Albert Einstein (1999); Enfermeira graduada (Bacharel e Licenciatura) pela Universidade Federal de São Carlos (1998). Professora Adjunto III do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de São Carlos. Pós-doutorado no programa Pesquisadora Colaboradora na Faculdade de Saúde Pública. 

Eliane de Lima Leite Sansão, Maternidade Santa Casa de Misericórdia de São Carlos

Enfermeira especialista em saúde da mulher, Coordenadora da Enfermagem da Maternidade Dona Francisca Cintra Silva da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos.

Natália Rejane Salim, Universidade Federal de São Carlos

Bacharel em obstetrícia pela Universidade de São Paulo. Doutora em Ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Professora do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de São Carlos. Realizou estágio na Faculty of Social Sciences da University of Ottawa no Canadá (Bolsista Sanduíche CAPES). Trabalha com pesquisa qualitativa com foco na saúde da mulher; nas relações de cuidado nos contextos de atenção à saúde e direitos sexuais e reprodutivos. É membro dos grupo de pesquisa: Grupo de Estudos e Pesquisas no Cuidado Interdisciplinar à Saúde da Mulher (CISMu) e Grupo de Pesquisa em Educação Popular em Saúde (GPEPS).

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.459, de 24 de junho de 2011. Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS – a Rede da Cegonha. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1459_24_06_2011.html. Acesso em: 15 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida [recurso eletrônico]. Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. - Brasília: Ministério da Saúde, 2017. 51p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf . Acesso em: 11 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Caderno de educação popular e saúde. Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. - Brasília: Ministério da Saúde, 2007. 160 p. - (Série B. Textos Básicos de Saúde). Disponível: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_educacao_popular_saude_p1.pdf. Acesso em: 11 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Programa de Humanização do Pré-Natal e Nascimento. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2002. 28p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/parto.pdf. Acesso em: 12 jun. 2020.

DIAS, P.F. et al. Formação do conceito ambiência para trabalho de parto e parto normal institucionalizado. Rev. Bras. Enferm., v.72, Suppl.3, p.348-359, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71672019000900348&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 07 jul. 2020.

HOLANDA, S.M. et al. Influência da participação do companheiro no pré-natal: satisfação de primíparas quanto ao apoio no parto. Texto context-enferm., v.27, n.2, p.01-10, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0104-07072018000200317&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 12 jun. 2020.

MATERNIDADE DONA FRANCISCA CINTRA SILVA. Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, São Paulo, 2020. Disponível em: http://santacasasaocarlos.com.br/page.php?name=maternidade. Acesso em: 07 jul. 2020.

PADILHA, R.Q. et al. Princípios para a gestão da clínica: conectando gestão, atenção à saúde e educação na saúde. Ciênc. saúde coletiva, v.23, n.12, p.4249-4257, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v23n12/1413-8123-csc-23-12-4249.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

PAIVA, C.C.N.; CAETANO, R. Avaliação de implantação das ações de saúde sexual e reprodutiva na Atenção Primária: revisão de escopo. Esc. Anna Nery, v.24, n.1, p.01-11, 2020. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452020000100703&lng=en. Acesso em: 07 jul. 2020.

PICHETH, S.F.; CRUBELLATE, J.M.; VERDU, F.C. A transnacionalização do parto normal no Brasil: um estudo das últimas cinco décadas. Hist. cienc. saude-Manguinhos, v.25, n.4, p.1063-1082, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702018000401063&lng=en. Acesso em: 12 jun. 2020.

SAMPAIO, L.M. et al. Rede cegonha: acompanhamento pré-natal e vinculação de gestantes à maternidade de referência. Ciência Cuidado e Saúde, v.17, n.1, p.01-07, 2018. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/38384. Acesso em: 12 jun. 2020.

TEIXEIRA, R.C. et al. Necessidades de saúde de mulheres em pós-parto. Rev. Esc. Anna Nery, v.19, n.4, p.621-628, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ean/v19n4/1414-8145-ean-19-04-0621.pdf . Acesso em: 11 set. 2020.

THEOPHILO, R.L.; RATTNER, D.; PEREIRA, E.L. Vulnerabilidade de mulheres negras na atenção ao pré-natal e ao parto no SUS: análise da pesquisa da Ouvidoria Ativa. Ciênc. saúde coletiva, v.23, n.11, p. 3505-3516, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-81232018001103505&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 12 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-26