Elaboração de materiais informativos digitais sobre prevenção ao câncer e à recidiva

Autores

  • Jaqueline Schroeder Universidade Federal de Santa Catarina
  • Marina Raick Universidade Federal de Santa Catarina
  • Patricia Faria Di Pietro Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e81427

Palavras-chave:

Câncer, Prevenção, Alimentação, Atividade Física, Qualidade de Vida

Resumo

O estilo de vida saudável é essencial para a prevenção do câncer e da recidiva, e neste sentido são necessárias atividades de educação alimentar e nutricional que otimizem os hábitos de vida da população. De modo a contemplar estas ações educativas, executou-se o projeto de extensão da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) “Promoção de hábitos de vida saudáveis para mulheres sobreviventes do câncer de mama e comunidade acadêmica”, que teve expansão do público-alvo devido a adaptações no projeto decorrentes da pandemia do Coronavirus Disease 2019 (COVID-19). O artigo objetivou explanar a elaboração dos materiais educativos do projeto. Elaboraram-se 3 palestras interdisciplinares e 14 materiais informativos, realizados em Microsoft PowerPoint e Canva, após revisão bibliográfica sobre a temática. A execução do projeto auxilia a população a ter maior conhecimento acerca da prevenção ao câncer, e promove hábitos relacionadas à dieta, atividade física e saúde mental.

Biografia do Autor

Jaqueline Schroeder, Universidade Federal de Santa Catarina

Nutricionista pelo Centro Universitário Católica de Santa Catarina. Especialista em Urgências e Emergências em Cuidados Intensivos pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Nutrição da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Marina Raick, Universidade Federal de Santa Catarina

Acadêmica de graduação em Nutrição da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi bolsista de extensão (PROBOLSAS) e atualmente bolsista do Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica (PIBIC) da UFSC.

Patricia Faria Di Pietro, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestrado em Ciência dos Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutorado em Ciências Biológicas (Fisiologia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pós-Doutorado no Moores Cancer Center na University of California San Diego. É docente do Departamento de Nutrição da UFSC e do Programa de Pós-Graduação em Nutrição (PPGN/UFSC).

Referências

A.C. CAMARGO CANCER CENTER. Por que o câncer pode voltar, mesmo após um tratamento bem sucedido? A.C. Camargo Cancer Center, out. 2020. Disponível em: https://www.accamargo.org.br/sobre-o-cancer/noticias/por-que-o-cancer-pode-voltar-mesmo-apos-um-tratamento-bem-sucedido.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA – ANVISA. Suplementos alimentares. ANVISA, 2019. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/suplementos-alimentares Acesso em: 25 maio 2020.

ANDRICI, J.; ESLICK, G.D. Hot food and beverage consumption and the risk of esophageal cancer: a meta-analysis. American journal of preventive medicine, v. 49, n. 6, p. 952-960, 2015.

BERNAUD, F.S.R.; RODRIGUES, T.C. Fibra alimentar – Ingestão adequada e efeitos sobre a saúde do metabolismo. Arq Bras Endocrinol Metab, v. 57, n. 6, 2013.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Marco de referência de educação alimentar e nutricional para as políticas públicas. – Brasília, DF: MDS; Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). O câncer e seus fatores de risco: o que a educação pode evitar? Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, ilustrações de Ziraldo. 2ª ed. rev. atual. – Rio de Janeiro, INCA, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed., 1. reimpr. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014a.

BRASIL. Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional. Estratégia Intersetorial de Prevenção e Controle da Obesidade: recomendações para estados e municípios -- Brasília, DF: CAISAN, 2014b.

BRASIL. Ministério da Saúde. Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição: material de apoio para profissionais de saúde / Ministério da Saúde, Universidade Federal de Minas Gerais. – Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

BRASIL. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estilo de vida saudável durante e após o tratamento do câncer: alimentação saudável / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. – Rio de Janeiro: Inca, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Publicações. Causas e Prevenção: O que causa o câncer? Rio de Janeiro: INCA, 2018a. Disponível em: https://www.inca.gov.br/causas-e-prevencao/o-que-causa-cancer. Acesso em: 03 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Publicações. Exposição solar. Rio de Janeiro: INCA 2018b. Disponível em: https://www.inca.gov.br/causas-e-prevencao/prevencao-e-fatores-de-risco/exposicao-solar. Acesso em: 26 mai. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Notícias. Bebidas muito quentes podem causar câncer de esôfago. Rio de Janeiro: INCA, 2018c. Disponível em: https://www.inca.gov.br/noticias/bebidas-muito-quentes-podem-causar-cancer-esofago#:~:text=O%20c%C3%A2ncer%20de%20es%C3%B4fago%20%C3%A9,2.860%20em%20mulheres%20no%20Brasil. Acesso em: 05 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Câncer. O que é câncer? Rio de Janeiro: INCA, 2019. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-mama. Acesso em 27 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Notícias. Agência Saúde: consumo abusivo de álcool aumenta 42,9% entre as mulheres. 2019b. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45613-consumoabusivo-de-alcool-aumenta-42-9-entre-as-mulheres. Acesso em: 21 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Publicações. Causas e Prevenção: carnes vermelha. Rio de Janeiro: INCA, 2019c. Disponível: https://www.inca.gov.br/alimentacao/carnes-vermelhas. Acesso em: 05 dez. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Câncer de mama: vamos falar sobre isso? / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. – 6. ed. rev. atual. – Rio de Janeiro: INCA, 2021.

BAVARESCO, T.P.F. et al. Adesão às recomendações do World Cancer Research Fund/American Institute for Cancer Research de mulheres durante tratamento para o câncer de mama. Nutr. clín. diet. hosp, p. 150-157, 2016.

BRAY, F. et al. Global cancer statistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA: A Cancer Journal for Clinicians, v. 68, n. 6, p. 394-424, 2018.

CARVALHO, K. B.; GUIMARÃES, M.; ARAÚJO, R. R. S. Promoção da saúde e qualidade de vida no trabalho através da educação alimentar e nutricional. Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IFSUDESTE, campus Barbacena), 2018.

COUGHLIN, S. S. et al. Survivorship issues in older breast cancer survivors. Breast Cancer Research and Treatment, v. 174, n. 1, p. 47-53, 2019.

COZZOLINO, S. M. F. Biodisponibilidade de nutrientes. 3. ed. Barueri: Manole, 2009. cap. 23, p. 513-541.

DE CARVALHO, F. F. B; PINTO, T. J. P.; KNUTH, A. G. Atividade Física e Prevenção de Câncer: Evidências, Reflexões e Apontamentos para o Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 66, n. 2, 2020.

DE LIZ, S. et al. Adherence to the WCRF/AICR for women in breast cancer adjuvant treatment submitted to educational nutritional intervention. Nutrition and cancer, v. 70, n. 5, p. 737-747, 2018.

DE SOUZA GOMES, G.C. et al. Conhecimento alimentar e perfil antropométrico de mulheres com câncer de mama em tratamento quimioterápico. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 7, p. 73851-73870, 2021.

DOS SANTOS, A.P.M.; BERGOLD, L.B.. Oficinas musicais: a utilização do lúdico e da música para Educação Alimentar e Nutricional com escolares. Revista da Associação Brasileira de Nutrição-RASBRAN, v. 9, n. 2, p. 88-93, 2018.

FILHO, M. B.; RISSIN, A. A transição nutricional no Brasil: tendências regionais e temporais. Cadernos de Saúde Pública – CSP. 2003.

FREITAS, C. F. C. et al. Qualidade da dieta entre consumidores e não consumidores de carnes vermelhas e processadas: estudo ISA-Capital. Revista de Nutrição. v. 28, n. 6, 2015.

GARRETT, W. S. et al. Cancer and the microbiota. Science, v. 348, n. 6230, p. 80-86, 2015.

GERAIX, J. et al. Curso de Aprofundamento em Nutrição Funcional e Câncer. Valéria Paschoal – VP. Centro de Nutrição Funcional. 2019.

GOLLUCKE, A. P. et al. Use of grape polyphenols against carcinogenesis: putative molecular mechanisms of action using in vitro and in vivo test systems. Journal of medicinal food, Larchmont, v. 16, n. 3, p. 199- 205, 2013.

GONÇALVES, J. R. H. et al. Survival study of triple-negative and non–triple-negative breast cancer in a Brazilian cohort. Clinical Medicine Insights: Oncology, v. 12, 2018.

HARDY, G.; HARDY, I., MANZANARES, W. Selenium supplementation in the critically ill. Nutrition in clinical practice, Baltimore, v. 27, n. 1, p. 21-33, 2012.

HE, C. et al. Circadian disrupting exposures and breast cancer risk: a meta-analysis. International archives of occupational and environmental health, v. 88, n. 5, p. 533-547, 2015.

INTERNATIONAL AGENCY FOR RESEARCH ON CANCER/WORLD HEALTH ORGANIZATION – IARC/WHO. Global Cancer Observatory. Cancer Today – IARC. 150 Cours Albert Thomas, France. GLOBOCAN 2020. Disponível em: http://gco.iarc.fr/. Acesso em: 06 abr 2021.

LOPES, A. F. et al. Perfil nutricional de crianças no estado do Maranhão. Rev. bras. epidemiol., São Paulo , v. 22, e190008, 2019.

MARIOTTO, A. B. et al. Can we use survival data from cancer registries to learn about disease recurrence? The case of breast cancer. Cancer Epidemiology and Prevention Biomarkers, v. 27, n. 11, p. 1332-1341, 2018.

ORGANIZACIÓN PANAMERICANA DE LA SALUD – OPAS. Determinantes Sociais e Riscos para a Saúde, Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Saúde Mental: Folha Informativa – Alimentação Saudável. 70800-400 Brasília, DF, Brasil, 2019. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5964:folha-informativa-alimentacao-saudavel&Itemid=839. Acesso em: 03 nov. 2020.

PARDINO, J.S. et al. Oficinas de educação alimentar e nutricional a partir da avaliação do consumo alimentar e do perfil de atividades física de escolares. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v. 13, n. 78, p. 238-248, 2019.

PINTO, M et al. Carga de doença atribuível ao uso do tabaco no Brasil e potencial impacto do aumento de preços por meio de impostos. Documento técnico IECS N° 21. Instituto de Efectividad Clínica y Sanitaria, Buenos Aires, Argentina. Maio de 2017. Disponível em: www.iecs.org.ar/tabaco. Acesso em: 27 fev. 2020.

PLAZA-DÍAZ, J. et al. Associação de disbiose da microbiota mamária e intestinal e o risco de câncer de mama: um estudo clínico caso-controle. BMC cancer, v. 19, p. 495, 2019.

RODRIGUES, J.N. et al. Educação Alimentar e Nutricional como estratégia para aumento do consumo de proteínas em escolares. Revista Ciências & Ideias ISSN: 2176-1477, v. 11, n. 1, p. 249-260, 2020.

ROWLAND, I. et al. Gut microbiota functions: metabolism of nutrients and other food components. European journal of nutrition, v. 57, n. 1, p. 1-24, 2018.

SAMPAIO, H. A. de C. et al. Consumo alimentar de mulheres sobreviventes de câncer de mama: análise em dois períodos de tempo. Revista de Nutrição, Fortaleza, v. 25, n. 5, p. 597-606, 2012.

SARTORELLI, D. S.; FRANCO, L. J. Tendências do diabetes mellitus no Brasil: o papel da transição nutricional. Cad. Saúde Pública, v. 19, 2003.

SILVA, M.L.F. et al. Consumo de energia, macronutrientes e antioxidantes de pacientes com câncer em tratamento clínico: um estudo transversal. Nutrición Clínica y Dietética Hospitalaria, v. 40, n. 4, 2020.

SOCIEDADE GOIANA DE PEDIATRIA. Amamentação traz benefícios para o bebê e a mãe. 2018. Disponível em: https://www.sbp.com.br/filiada/goias/noticias/noticia/nid/amamentacao-traz-beneficios-para-obebe-e-a-mae/ Acesso em: 26 maio 2020.

SOUZA, L.V.; ORNELLAS, F.H.. Avaliação do conhecimento nutricional de indivíduos eutróficos, sobrepesos e obesos e sua associação com o estado nutricional. RBONE-Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 5, n. 26, 2011.

WORLD CANCER RESEARCH FUND (WCRF) /AMERICAN INSTITUTE FOR CANCER RESEARCH (AICR) – WCRF/AICR. Food, nutrition, physical activity, and the prevention of cancer: a global perspective. American Institute for Cancer Research, 2007.

WORLD CANCER RESEARCH FUND (WCRF)/AMERICAN INSTITUTE FOR CANCER RESEARCH (AICR). Diet, nutrition, physical activity and breast câncer. Continous Update Project Expert Report, 2018. Disponível em: dietandcancerreport.org. Acesso em: 28 ago. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO. OMS. Ingestão de açúcares por adultos e crianças. 2015. Disponível em: https://www.paho.org/bra/images/stories/GCC/ingestao%20de%20acucares%20por%20adul tos%20e%20criancas_portugues.pdf?ua=1. Acesso em: 29 abril 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO. OMS, 2020. Tobacco. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/tobacco. Acesso em: 22 Jan. 2020.

ZANDONAI, A. P.; SONOBE, H. M.; SAWADA, N. O. Os fatores de riscos alimentares para câncer colorretal relacionado ao consumo de carnes. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 234-239, Fev. 2012.

ZHANG, F.F. et al. Diet quality of cancer survivors and noncancer individuals: Results from a national survey. Cancer, v. 121, n. 23, p. 4212-4221, 2015.

Downloads

Publicado

2021-12-16