As bibliotecas imaginárias dos tradutores de Machado de Assis: o caso de “O espelho” em francês

Emilie Geneviève Audigier

Resumo


Machado de Assis tem uma íntima relação com a tradução. Ele traduziu do inglês, do espanhol e também do francês, traduzindo autores como La Fontaine, Lamartine e Musset. Por outro lado, Machado também está traduzido para dezenas de línguas. Na França, foi traduzido pela primeira vez, em 1910, por Adrien Delpech e a última tradução de um texto seu, publicada em 2010, foi realizada por Jean Briant. Uma dessas traduções chamou mais especialmente minha atenção: a do conto “O espelho, esboço de uma teoria sobre a alma humana” realizada por Maryvonne Lapouge-Petorelli, e publicado pela editora Métailié, em 1997.

Palavras-chave


Linguística; Literatura; Línguas Estrangeiras

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/31966

Revista Fragmentos, ISSNe 2175-7992, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.