Notas sobre os limites e as possibilidades da contribuição do trabalho de campo para a pesquisa geográfica

Solismar Fraga Martins

Resumo


O presente artigo sobre os limites e as possibilidades da contribuição do trabalho de campo para a pesquisa geográfica é resultado da reflexão sobre as leituras e as discussões realizadas na disciplina Orientação da Pesquisa Geográfica. Tais leituras levaram em consideração autores que tiveram a preocupação no desenvolvimento da própria epistemologia, como Chalmers, Cardoso e Feyerabend , entre outros. Procura trazer outros autores que trataram também minuciosamente algumas questões relativas ao trabalho de campo, mais especificamente sobre o trabalho qualitativo nas ciências sociais, como Demo e Triviños . Não se descartou a premissa de que os autores referidos não são geógrafos. Portanto, as manifestações aqui contidas deverão ser adaptadas aos trabalhos de pesquisa empírica da Geografia Humana. Por que forçosamente crio este hiato? Por causa da própria complexidade do objeto de estudo da Geografia, um conjunto indissociável de sistemas de objetos e de sistemas de ações.


Palavras-chave


Pesquisa geográfica; Trabalho de campo

Texto completo:

PDF/A


Geosul, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. eISSN 2177-5230

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.