O território como recurso: a privatização das telecomunicações no Brasil. Do leilão dos fragmentos à totalidade do território

Autores

  • Fábio Tozi USP- São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2009v24n48p47

Palavras-chave:

Uso corporativo do território, Política pública, Geografia política, Privatizações, Telecomunicações

Resumo

 

Este artigo sugere uma reflexão geográfica para as privatizações ocorridas no Brasil. Partindo da alienação do sistema de telecomunicações, propomos pensar os processos ocorridos e suas relações com a totalidade do território (sistemas de objetos e ações) e não apenas as implicações para um setor econômico, como normalmente trata-se a privatização. Portanto, o que nos orienta é a idéia de território usado, sinônimo de espaço banal, o espaço de todos os agentes (SANTOS, 1994b), e não apenas o espaço das redes. Assim, além de uma análise empírica, esperamos colaborar para uma discussão sobre a pertinência da Geografia para o entendimento do Brasil e do mundo no presente.

Biografia do Autor

Fábio Tozi, USP- São Paulo

Doutorando em Geografia Humana (FFLCH/USP), possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (2001) e mestrado em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (2005). Possui experiência profissional como pesquisador, como Professor Mestre adjunto do Centro Universitário Metropolitano de São Paulo (UNIFIG) e em Planejamento Territorial.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Artigos