Prospecção no universo das águas: a experiência da construção de cenários no plano nacional de recursos hídricos no Brasil, 2005-2006

Elimar Pinheiro do Nascimento, Marco José Melo Neves, Demetrios Christofidis

Resumo


 

O Plano Nacional de Recursos Hídricos foi aprovado em 2006
pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Pela primeira vez o Brasil tem um plano dessa natureza, com a peculiaridade de ter incluído um estudo prospectivo. Uma novidade,  parentemente, com dois precedentes no mundo. O presente artigo descreve a metodologia e o processo de criação dos cenários de recursos hídricos do plano, construídos por meio de um conjunto de oficinas regionais e nacionais que envolveram 235 participantes, e identifica as variáveis, os atores e as incertezas críticas do sistema de recursos hídricos no País. Desse conjunto de oficinas resultaram três cenários de recursos hídricos para o Brasil 2020, os quais foram parcialmente quantificados. Eles se transformaram na base do plano, a partir da definição de uma estratégia robusta, formada pela recorrência de gargalos, potencialidades e conflitos na maioria dos cenários. Faltou, porém, uma quantificação mais refinada e completa, baseada em um modelo consistente, assim como uma focalização regional que permitisse identificar os impactos de cada um dos três cenários em cada uma das 12 regiões hidrográficas em que o País foi dividido.


Palavras-chave


Recursos hídricos; Planejamento; Plano nacional de recursos hídricos; Cenários de recursos hídricos; Metodologia de cenários; Participação social

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2177-5230.2010v25n49p27

Geosul, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. eISSN 2177-5230

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.