Territórios perante a globalização em Santa Catarina: ensaio inspirado na ideia de “sociologia do lugar”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2021.e74707

Palavras-chave:

Território, Globalização, Desenvolvimento, Santa Catarina

Resumo

O debate sobre a globalização registra o problema dos desafios enfrentados pelos territórios subnacionais. Diversos estudos constatam que a geografia dos efeitos é desigual, algumas áreas saindo-se melhor do que outras frente aos problemas (e oportunidades). A diferenciação justificaria análises nos termos do que se chamaria de “sociologia do lugar”, atenta para atributos sociais, econômicos, culturais e institucionais. Este estudo foca tal assunto abordando três áreas de Santa Catarina: o Vale do Itajaí têxtil e do vestuário, o norte moveleiro e o oeste agroindustrial, cujos traços se constituíram nas respectivas histórias. Com base em pesquisa bibliográfica e documental, fala-se sobre as reações aos desafios, que variaram da reestruturação produtiva à persistência de condutas depois tornadas problemáticas.

Biografia do Autor

Hoyêdo Nunes Lins, UFSC

Programa de Pós-graduação em Economia e Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais

Referências

BECATTINI, G. Le district marshallien: une notion socio-économique. In: BENKO, G.; LIPIETZ, A. (Dirs.). Les régions qui gagnent. Paris: Presses Universitaires de France,1992, p. 35-55.

BENKO, G.; LIPIETZ, A. (Dirs.). Les régions qui gagnent. Paris: Presses Universitaires de France, 1992.

BENKO, G.; LIPIETZ, A. (Dirs.). La richesse des régions: la nouvelle géographie socio-économique. Paris: Presses Universitaires de France, 2000.

BOURDIEU, P. Le champ économique. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, n. 119, p. 48-66, 1997.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. 5.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

CARIO, S.A.F. et al. Indústria e arranjos produtivos locais em Santa Catarina: avaliação e política de desenvolvimento para setores tradicionais. Florianópolis: Nova Letra, 2013.

CARNEY, J.; HUDSON, R.; LEWIS, J. (Eds.). Regions in crisis: new perspectives in European regional theory. London: Croom Helm, 1980.

CATTANEO, O.; GEREFFI, G.; STARITZ, C. (Eds.). Global value chains in a postcrisis world: a development perspective. Washington, D.C.: The World Bank, 2010.

COLETTI, T.; LINS, H. N. (2011). A suinocultura no vértice das relações entre agroindústria e agricultura familiar no oeste de Santa Catarina. Ensaios FEE, v. 32, n. 2, p. 339-360, 2011.

COMERLATTO, L. M.; LINS, H. N. Produção moveleira em São Bento do Sul (SC): a perspectiva das cadeias mercantis globais. Ensaios FEE, v. 29, n. 2, p. 503-530, 2008.

CONCLA – Comissão Nacional de Classificação; IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). Rio de Janeiro: IBGE, 2002. Obtido em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv1358.pdf. Acesso em: 12 dez. 2018.

DENK, A. Polos moveleiros: I – São Bento do Sul (SC). São Paulo: ABIMÓVEL, 2002.

DENK, A.; CARIO, S. A. F. Análise das condições competitivas do cluster moveleiro da região de São Bento do Sul em Santa Catarina. In: CARIO, S. A. F.; PEREIRA, L. B.; SCHÜNEMANN, A. J. (Orgs.). Características da estrutura de mercado e do padrão de concorrência de setores industriais selecionados de Santa Catarina. Florianópolis: PPGEco-UFSC, 2002, p. 271-301.

DIVISÃO regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geográficas intermediárias: 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

FERRARI, Dilvan L.; T|ORESAN, Luiz; MIOR, Luiz C.; MARCONDES, Tabajara. As mudanças estruturais na agricultura catarinense: análise a partir dos censos agropecuários. In: GOVERNO DE SANTA CATARINA. Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri. Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola – Cepa. Síntese anual da agricultura de Santa Catarina 2017-2018. Florianópolis: Epagri/Cepa, 2019, p. 7-20.

FICKER, C. São Bento do Sul: subsídios para a sai história. 1ª Parte. Joinville: Impressora Ipiranga, 1973.

FREITAG, K. C., BRANDÃO, L. As transformações no mundo do trabalho em Blumenau/SC: a gestão dos benefícios sociais. II JORNADA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO E POLÍTICAS PÚBLICAS, Criciúma: Universidade do Extremo Sul Catarinense, 2018.

GEREFFI, G. International trade and industrial upgrading in the apparel commodity chain. Journal of International Economics, n. 48, p. 37-70, 1999.

GOVERNO DE SANTA CATARINA. Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina. Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola. Síntese annual da agricultura de Santa Catarina 2017-2018. Florianópolis: Epagri/Cepa, 2019.

GRANOVETTER, M. Economic action and social structure: the problem of embeddedness. American Journal of Sociology, v. 91, n. 3, p. 481-510, 1985.

HARVEY, D. (1995). Globalization in question. Rethinking Marxism, v. 8, n. 4, p. 1-17, 1995.

HELFAND, S. M.; REZENDE, G. C. Mudanças na distribuição espacial da produção de grãos, aves e suínos no Brasil: o papel do Centro-Oeste. Planejamento e Políticas Públicas, n. 611, p. 219-273, 1999.

HERING, M. L. R. Colonização e indústria no Vale do Itajaí: o modelo catarinense de desenvolvimento. Blumenau: Editora da Universidade Regional de Blumenau, 1987.

IBGE. Censo agropecuário 1995-1996. Obtido em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-1995-1996 Acesso em: 15 jan. 2020.

IBGE. Censo agropecuário 2006. Obtido em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2006/segunda-apuracao Acesso em: 15 jan. 2020.

IBGE. Censo agropecuário 2017. Obtido: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017 Acesso em: 15 jan. 2020.

JONES, R.; KIERZKOWSKI, H. International fragmentation and the new economic geography. North American Journal of Economics and Finance, n. 16, p. 1-10, 2005.

KAPLINSKY, R.; MMEDOVIC, O.; MORRIS, M.; READMAN, J. The global wood furniture value chain: what prospects for upgrading by developing countries. The case of South Africa. Vienna: United Nations Industrial Development Organization, 2003.

LANZER, E.; CASAROTTO Fº, N.; CUNHA, C. Análise da competitividade sistêmica do setor de móveis de Santa Catarina. Florianópolis: BRDE, 1998.

LAZZARI, M. R. Avicultura de corte no Brasil: uma comparação entre as Regiões Sul e Centro-Oeste. Indicadores Econômicos FEE, v. 31, n. 4, p. 259-290, 2004.

LINS, H. N. Reestruturação industrial em Santa Catarina: pequenas e médias empresas têxteis e vestuaristas catarinenses perante os desafios dos anos 90. Florianópolis: Editora da UFSC, 2000.

LINS, H. N. Arranjo produtivo têxtil-vestuarista da região do Vale do Itajaí. In: CARIO, S.A.F. et al. (Orgs.). Economia de Santa Catarina: inserção industrial e dinâmica competitiva. Blumenau: Letra Nova, 2008, p. 336-381.

LINS, H. N. Descentralização do Estado: discutindo o planejamento e a promoção do desenvolvimento com dimensão espacial. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, n. 28, p. 71-101, 2011.

LINS, H. N. Mudanças econômicas e possibilidades dos territórios: observações sobre a trajetória recente do oeste de Santa Catarina. Revista Catarinense de Economia, v. 1, n. 1, p. 94-119, 2017.

LINS, H. N. Reestruturação produtiva, efeitos regionais e busca de alternativas: o oeste catarinense em foco. XIII ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, Niterói, UFF-SEP, jun. 2018. Anais...

LINS, H. N. Reestruturação produtiva e reconfiguração espacial da indústria do vestuário em Santa Catarina: contextualização do tema e indícios sobre o começo do século XXI. XIII ENCONTRO DE ECONOMIA CATARINENSE, Criciúma, UNESC-APEC, maio 2019, Anais, p. 986-1012.

LINS, H. N.; GUIMARÃES, P. A. Promovendo exportações de móveis: aspectos da implementação do PROMÓVEL no aglomerado moveleiro de São Bento do Sul (SC). Revista de Economia, v.34, n. 3, p. 7-33, 2008.

LINS, H. N.; SOUSA, G. R. de. Exercício de “história local”: uma saga na trajetória moveleira do planalto norte catarinense. História Econômica & História de Empresas, v. 17, n. 2, p. 605-628, 2014.

LIPIETZ, A. Aménagement du territoire et développement endogène. Paris: CEPREMAP, 2001.

LUNDVALL, B.; BORRÁS, S. The globalising learning economy: implications for innovation policy. Brussels: European Commission, 1997.

MARCONDES, T.; MIOR, L. C.; REITER, J. M. W.; MONDARDO, M. Os empreendimentos de agregação de valor e as redes de cooperação da agricultura familiar de Santa Catarina. Florianópolis: EPAGRI, 2012.

MARSHALL, A. Principles of economics: an introductory volume. 8.ed. London: Macmillan, 1979.

MIOR, L. C. Agricultores familiares, agroindústrias e redes de desenvolvimento rural. Chapecó: Argos, 2005.

OECD. Interconnected economies: benefiting from global value chains. Paris: OECD Publishing, 2013.

PAIM, E. A. Aspectos da construção histórica da região oeste de Santa Catarina. SÆCULUM – Revista de História, n. 14, p. 121-138, 2006.

POLI, O. L. Cultura e modo de vida camponês no oeste catarinense: as bases para a organização e reação frente à crise dos anos 70. Cadernos do CEOM, v. 16, n. 5, p. 107-175, 2002.

POLO moveleiro catarinense reverte estratégia de vendas para evitar colapso. AN, [S.p.], 4 abr. 2014. Obtido em: https://www.nsctotal.com.br/noticias/polo-moveleiro-catarinense-reverte-estrategia-de-vendas-para-evitar-colapso Acesso em: 14/01/2020.

RAIS – Relação Anual de Informações Sociais. Brasília, D.F.: Ministério do Trabalho, S.d. Obtido em: http://bi.mte.gov.br/bgcaged/rais.php. Acesso em: 11 jan. 2020.

RODRIK, D. Has globalization gone too far? Washington, DC: Institute for International Economics, 1997.

SEABRA, F.; PAULA, D. de; FORMAGGI, L. Arranjo produtivo de móveis da região de São Bento do Sul. In: CARIO, S.A.F. et al. (Orgs.). Economia de Santa Catarina: inserção industrial e dinâmica competitiva. Blumenau: Letra Nova, 2008, p. 268-296, 2008.

SHEPHERD, B.; STONE, S. Global production networks and employment: a developing country perspective. OECD Trade Policy Papers, n. 154, Paris: OECD Publishing, 2013.

SILVA, A. da; ROSA, A. da. Antes do Oeste Catarinense: aspectos da vida econômica e social de uma região. Fronteiras: Revista Catarinense de História, n. 18, p.139-160, 2010.

SILVA, C. A.; HEIDEN, F. C.; AGUIAR, V. V. P.; PAUL, J. M. Migração rural e estrutura agrária no oeste catarinense. 2.ed. Florianópolis: Instituto CEPA, 2003.

STORPER, M.; HARRISON, B. Flexibility, hierarchy and regional development: the changing structure of industrial production systems and their form of governance in the 1990s. Research Policy, v. 20, n. 5, p. 407-422, 1991.

TESTA, V. M.; NADAL, R.; MIOR, L. C.; BALDISSERA, I. T.; CORTINA, M. O desenvolvimento sustentável do Oeste Catarinense (proposta para discussão). Florianópolis: EPAGRI, 1996.

THEIS, I. M.; NODARI, T. M. dos S. A agroindústria de aves e o desenvolvimento regional no Meio Oeste de Santa Catarina. Cadernos de Economia, v. 4, n. 7, p. 7-28, 2000.

VANIER, M. (Dir.) Territoires, territorialité, territorialisation: controverses et perspectives. Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2009.

Downloads

Publicado

2021-09-03

Edição

Seção

Artigos