Das sociedades amazônicas ao estado Inca: os modelos de relação mito/rito e seu sistema de transformação

Autores

  • Antoinette Molinié CNRS - Université de Paris X

Resumo

A. Molinié parte da hipótese de sistemas de transformação entre a cultura das Terras Baixas amazônicas e a das Terras Altas andinas, sem inferir necessariamente um eixo diacrônico. Ela examina aqui esta hipótese a respeito do sistema mito/rito partindo, a título heurístico, de dois modelos correspondendo a cada uma dessas duas áreas culturais. Procura o sistema de transformação assim definido na figura andina de Viracocha, que é a um tempo herói mítico e divindade. O ciclo dos Viracocha reporta-se à criação da atual humanidade por este herói quádruplo, um de cujos avatares é um trickster. De outro lado Viracocha pode ser considerado como o aspecto noturno da divindade solar e estatal dos Incas, que também toma uma configuração quádrupla nas quatro posições do astro. Uma relação pode assim se estabelecer entre um dos quatro heróis míticos (o trickster) e um dos quatro sóis (o Sol notuno). Fórmulas intermediárias são analisadas no caso das divindades locais andinas (huacas). Estes elos entre heróis míticos e divindade são pesquisados também na etnografia andina contemporânea. Eles permitem enfim teorizar as transformações do sistema mito/rito das Terras Baixas nas Terras Altas da América do Sul.

Biografia do Autor

Antoinette Molinié, CNRS - Université de Paris X

Antoinette Molinié foi dedicada ao estudo do Africano tracional andina. Como primeiro passo na investigação Peru perto de Cuzco, no vale de Chancay, então Bolívia Ambana, ela mostrou como a integração da comunidade andina na economia de mercado tradicional. Como resultado de vários estudos etnográficos que conduziu a pesquisa sobre a representação do espaço e sobre as condições do ritual, como os processos pelos quais ela é instituída em memória de longo prazo, historicidade e relatórios específicos exegese qu'entretiennent e ação ritual, os sistemas de transformações sobre o mito / ritual entre os planaltos e planícies. Este trabalho foi uma dimensão comparativa através de inquéritos realizados na Espanha, em primeiro lugar La Mancha e Andaluzia, onde trabalha atualmente. Este laboratório transatlântico comparativo permitiu-lhe identificar os mecanismos de etnogênese dos ameríndios ou os seus dados sincrônica diacrônica através de espanhola e andina, aprofundar o conceito de sacrifício do seu funcionamento diferenciado nas touradas, para reforçar a coerência entre os dois sistemas de pensamento através da exegese dos ritos de Corpus Christi.

Publicado

2001-01-01

Como Citar

MOLINIÉ, Antoinette. Das sociedades amazônicas ao estado Inca: os modelos de relação mito/rito e seu sistema de transformação. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 005–023, 2001. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/14933. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos