Potência de ver e impotência de ser: arte e pensamento social brasileiro

Autores

  • Raul Hector Antelo Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

O observador com sua potência de ver teima em contemplar a nação, em augurar horizontes, metas, destinos, sem perceber que o próprio conceito de universalidade mudou e que agora é ela, a Coisa, a impotência de ser, a que nos vê e nos devolve uma imagem em que não podemos mais nos reconhecer. O mínimo que se pode concluir é que o próprio conceito de universalidade saiu radicalmente modificado dessa experiência de abstração referencial.

Biografia do Autor

Raul Hector Antelo, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduado em Letras Modernas pela Universidad de Buenos Aires (1974) e em Língua Portuguesa pelo Instituto Superior del Profesorado en Lenguas Vivas (1972), mestrado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (1978) e doutorado em Literatura Brasileira pela mesma Universidade (1981). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: modernismo e modernidade, poesia e crítica cultural contemporânea.

Downloads

Publicado

2001-01-01

Edição

Seção

Artigos